sicnot

Perfil

País

Operação da GNR deteta 876 condutores em excesso de velocidade

Miguel Pereira da Silva / LUSA

A GNR detetou 876 condutores em excesso de velocidade durante a operação "Mercúrio" que decorreu na quarta-feira em Portugal continental, com incidência no interior, disse hoje à Lusa fonte da cooperação.

Fonte da GNR avançou hoje que foram inspecionados 40.206 veículos durante a operação que decorreu em todo o país nas vias onde as infrações por excesso de velocidade são mais frequentes, nomeadamente nas autoestradas e estradas situados no interior das localidades.

A GNR incidiu a sua operação na zona interior de Portugal continental.

Na operação, os militares utilizaram todos os equipamentos de controlo de velocidade, sejam móveis ou fixos.

A GNR avançou que este ano foram multados 107.305 condutores por excesso de velocidade, menos 20 por cento do que em igual período do ano passado, quando se tinham registado 130.298 infrações.

Segundo aquela corporação, dos 5,6 milhões de condutores controlados este ano, 107.305 circulavam em excesso de velocidade.

Aveiro (14.236), Leiria (13.169) e Lisboa (12.215) foram os distritos com mais condutores multados este ano por excesso de velocidade, avançam dados daquela força de segurança.

A GNR refere ainda que tem intensificado as ações de controlo ao excesso de velocidade, uma vez que é uma das principais causas da sinistralidade rodoviária grave em Portugal, juntamente com a condução sob a influência do álcool e da não utilização dos sistemas de retenção.

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14