sicnot

Perfil

País

Festival Andanças com seguro apenas para 300 carros ardidos

O festival Andanças só tem um seguro de 100 mil euros para 300 carros ardidos. De acordo com o Jornal de Notícias, ainda estão por pagar prejuízos avaliados em 3 milhões de euros, na sequência dos incidentes do passado dia 3 de agosto.

O valor do seguro não é suficiente para pagar aos cerca de 300 condutores que tinham seguro contra terceiros e que ainda estão à espera de ser ressarcidos.

Um grupo de lesados está a mobilizar-se para avançar para tribunal, sem esperar pelas conclusões do Ministério Público, que continua a investigar a origem do fogo para apurar eventuais responsabilidades criminais.

Ainda de acordo com o Jornal de Notícias, esta semana ainda havia 40 carros ardidos no recinto do festival.

  • Um mês após incêndio no Andanças continuam as incertezas
    1:11

    País

    Um mês após o incêndio de destruiu 400 automóveis no parque de estacionamento do festival Andanças, em Castelo de Vide, continuam as incertezas quanto ao desfecho do caso para os lesados. Ao longo das últimas semanas, os veículos têm sido retirados do parque de estacionamento, mas ainda permanecem no espaço cerca de 60 carros.

  • Cigarro mal apagado poderá estar na origem do incêndio no Andanças
    1:27

    País

    Terá sido um cigarro mal apagado a provocar o incêndio que destruiu mais de 400 automóveis, no festival "Andanças". Uma fonte adiantou à SIC que esta é mesmo a hipótese mais provável. Para já há apenas a certeza de que o fogo não começou dentro de um veículo, o que terá implicações no assumir de responsabilidades pelas seguradoras.

  • Obama acredita que Guterres será um bom líder da ONU
    0:53

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar de perto com os Estados Unidos na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido esta sexta-feira por Barack Obama, na Casa Branca, onde foi elogiado pelo ainda Presidente.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.