sicnot

Perfil

País

Fogo "começa a dar tréguas" no Algarve

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

O incêndio florestal que está ativo desde quarta-feira nos concelhos de Monchique e Portimão continua com dois focos que merecem maior preocupação, mas "começa a dar tréguas", afirmou esta sexta-feira à tarde o comandante operacional distrital de Proteção Civil de Faro.

"Não está extinto, nem sequer está dominado. Temos 40% do perímetro em vigilância, 40% dominado e 20% ativo", sublinhou Vítor Vaz Pinto, num balanço pelas 16:30, estimando que a área ardida ronde entre os 2.000 e 2.500 hectares.

Apesar de não haver um cenário generalizado de chamas de grandes proporções, registam-se "situações que, com algum vento que se possa fazer sentir, podem provocar alguma fagulha incandescente para fora do perímetro de incêndio e causar algum problema sério", referiu Vitor Vaz Pinto.

O combate às chamas está a cargo de 689 operacionais e agentes de proteção civil, 219 meios técnicos, 16 máquinas de rasto e seis meios aéreos, tendo o comando de operações dispensado três meios aéreos.

A Proteção Civil começa agora a pensar na consolidação do incêndio.

Vítor Vaz Pinto sublinhou que o fogo inicial em Monchique, a 03 de setembro, durou 24 horas e teve uma fase de consolidação por mais de 48 horas, sofrendo depois um reacendimento na quarta-feira.

"Atendendo às condições meteorológicas que se fazem sentir, nomeadamente o fator vento, que tem sido uma constante sempre neste incêndio, temos de facto de consolidar essas situações de forma a que não haja nenhuma reativação", comentou o comandante.

Quanto ao desempenho das centenas de operacionais que têm estado a combater as chamas na serra algarvia, Vaz Pinto definiu-o como uma "prestação de excelência".

"Cumpriram com elevado profissionalismo o plano estratégico de ação que foi delineado para o combate dos incêndios florestais", concluiu.

Devido a este fogo, por precaução, 16 pessoas foram retiradas de casa no concelho de Monchique e outras 28 no município de Portimão, onde também 85 pessoas foram deslocadas de um hotel, por causa do fumo.

Lusa

  • Fogo de Monchique alastrou a Portimão
    3:40

    País

    No Algarve, o fogo chegou ontem ao autódromo de Portimão e obrigou levou à evacuação de uma unidade hoteleira por precaução. No percurso, as chamas passaram por aldeias e casas isoladas nas encostas e vales de Monchique. houve a necessidade de retirar muita gente.

  • Mais de 500 homens no combate às chamas no Algarve
    2:06

    País

    O violento incêndio que lavra em Monchique desde sábado chegou ao concelho de Portimão. Três aldeias e um hotel tiveram de ser evacuados. Os hóspedes do hotel foram levados para o Autódromo. O vento forte está a dificultar o trabalho aos mais de 500 bombeiros que combatem as chamas.

  • O insólito cartão amarelo mostrado a Felipe

    Desporto

    Aos 53 minutos do jogo desta quarta-feira entre o Sporting e o FC Porto, a contar para a Taça de Portugal, Jorge Sousa apercebe-se que Felipe enganou-se na camisola que vestiu ao intervalo. O defesa central reentrou com a camisola de Soares. O árbitro mostrou o cartão amarelo e mandou o jogador para o banco trocar de camisola.

  • Dez feridos ligeiros em naufrágio de embarcação em Cascais

    País

    Uma embarcação de recreio com 10 pessoas a bordo naufragou ao largo da Parede, na linha de Cascais. Todos os tripulantes foram resgatados pelas autoridades marítimas e bombeiros e apresentam escoriações ligeiras e sinais de hipotermia. O barco foi entretanto retirado da água e a marginal continua cortada ao trânsito.

  • PS apresenta Lei de Bases da Habitação para abrir debate sobre habitação acessível
    1:19

    Economia

    O PS quer avançar com uma Lei de Bases da Habitação. A proposta apresentada esta quinta-feira propõe a requisição de casas devolutas para habitação e apoios concretos para o arrendamento a preços acessíveis. O líder parlamentar do PS, Carlos César, diz que é tempo de abrir um debate sobre a habitação que acredita que pode resultar numa Lei ainda na atual legislatura.

  • A morte anunciada da ETA

    Mundo

    A organização separatista basca ETA vai anunciar a sua dissolução em 05 de maio, durante uma cerimónia marcada para Bayona, no País Basco francês, disseram à agência Efe fontes conhecedoras do processo.