sicnot

Perfil

País

Fogo "começa a dar tréguas" no Algarve

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

O incêndio florestal que está ativo desde quarta-feira nos concelhos de Monchique e Portimão continua com dois focos que merecem maior preocupação, mas "começa a dar tréguas", afirmou esta sexta-feira à tarde o comandante operacional distrital de Proteção Civil de Faro.

"Não está extinto, nem sequer está dominado. Temos 40% do perímetro em vigilância, 40% dominado e 20% ativo", sublinhou Vítor Vaz Pinto, num balanço pelas 16:30, estimando que a área ardida ronde entre os 2.000 e 2.500 hectares.

Apesar de não haver um cenário generalizado de chamas de grandes proporções, registam-se "situações que, com algum vento que se possa fazer sentir, podem provocar alguma fagulha incandescente para fora do perímetro de incêndio e causar algum problema sério", referiu Vitor Vaz Pinto.

O combate às chamas está a cargo de 689 operacionais e agentes de proteção civil, 219 meios técnicos, 16 máquinas de rasto e seis meios aéreos, tendo o comando de operações dispensado três meios aéreos.

A Proteção Civil começa agora a pensar na consolidação do incêndio.

Vítor Vaz Pinto sublinhou que o fogo inicial em Monchique, a 03 de setembro, durou 24 horas e teve uma fase de consolidação por mais de 48 horas, sofrendo depois um reacendimento na quarta-feira.

"Atendendo às condições meteorológicas que se fazem sentir, nomeadamente o fator vento, que tem sido uma constante sempre neste incêndio, temos de facto de consolidar essas situações de forma a que não haja nenhuma reativação", comentou o comandante.

Quanto ao desempenho das centenas de operacionais que têm estado a combater as chamas na serra algarvia, Vaz Pinto definiu-o como uma "prestação de excelência".

"Cumpriram com elevado profissionalismo o plano estratégico de ação que foi delineado para o combate dos incêndios florestais", concluiu.

Devido a este fogo, por precaução, 16 pessoas foram retiradas de casa no concelho de Monchique e outras 28 no município de Portimão, onde também 85 pessoas foram deslocadas de um hotel, por causa do fumo.

Lusa

  • Fogo de Monchique alastrou a Portimão
    3:40

    País

    No Algarve, o fogo chegou ontem ao autódromo de Portimão e obrigou levou à evacuação de uma unidade hoteleira por precaução. No percurso, as chamas passaram por aldeias e casas isoladas nas encostas e vales de Monchique. houve a necessidade de retirar muita gente.

  • Mais de 500 homens no combate às chamas no Algarve
    2:06

    País

    O violento incêndio que lavra em Monchique desde sábado chegou ao concelho de Portimão. Três aldeias e um hotel tiveram de ser evacuados. Os hóspedes do hotel foram levados para o Autódromo. O vento forte está a dificultar o trabalho aos mais de 500 bombeiros que combatem as chamas.

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.