sicnot

Perfil

País

Jerónimo de Sousa defende "medidas excecionais" para a Madeira

HOMEM DE GOUVEIA

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse esta sexta-feira, no Funchal, que são necessárias "medidas excecionais" para reconstruir as áreas afetadas pelos incêndios do princípio de agosto, e defendeu que o processo deve envolver o Governo da República.

"O orçamento regional tem, naturalmente, de dar resposta, mas temos a consciência que não pode dar a resposta toda", afirmou, realçando que o Governo da República deve assumir o "princípio da coesão, da unidade nacional e da solidariedade", de modo a contemplar verbas para a reconstrução no Orçamento do Estado para 2017.

Jerónimo de Sousa falava aos jornalistas após uma visita às zonas afetadas pelos incêndios no concelho do Funchal, onde ardeu 22% da área do município.

"Verificámos que os estragos são muitos", disse o dirigente comunista, salientando que a visita à região também teve uma "dimensão solidária", de apoio a população, particularmente nas zonas altas do município, onde a envergadura da tragédia é mais visível.

Jerónimo de Sousa alertou para o perigo que representam as encostas e escarpas sem vegetação, agora que se aproxima o inverno, numa zona de orografia bastante acidentada.

"Sabemos que algo está a ser feito, mas aquilo que vimos demonstra o muito que há para fazer, particularmente no plano das medidas mais emergentes", advertiu, lembrando a importância de evitar que medidas provisórias se transformem em definitivas.

Segundo o secretário-geral do PCP, o Orçamento do Estado para 2017 é um "momento importante" para se concretizarem apoios eficazes, já que "adiar para o dia de 'São Nunca' à tarde não resulta".

Jerónimo de Sousa manifestou-se, por outro lado, preocupado com o facto de não ter sido ainda desbloqueada qualquer ajuda por parte da União Europeia.

"Imediatamente após os incêndios, nós colocámos na União Europeia duas perguntas muito concretas em relação a fundos disponíveis para acudir a estas situações e a inexistência de qualquer resposta não constitui um bom sinal", alertou.

O dirigente comunista prometeu, no entanto, insistir, tendo em conta que a situação é "excecional" e, por isso, são precisas medidas excecionais.

"Da parte do PCP, na Assembleia da República, na Assembleia Regional, no Parlamento Europeu, poderemos dar o contributo máximo que esteja dentro das nossas possibilidades, para impedir que a catástrofe se repita e se agrave", afirmou.

Os incêndios da segunda semana de agosto afetaram sobretudo o concelho do Funchal, onde morreram três pessoas, mas também os municípios da Calheta, Ponta do Sol e Santa Cruz, sobretudo ao nível florestal. No total, os prejuízos foram avaliados em 157 milhões de euros.

Lusa

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.