sicnot

Perfil

País

Conselho para os Refugiados procura "senhorios solidários"

(Arquivo/Reuters)

© Muhammad Hamed / Reuters

O Conselho Português para os Refugiados (CPR) procura, com "muita urgência", apartamentos para alugar "a preços acessíveis", destinados aos refugiados que estão a chegar a Portugal, disse à Lusa a responsável da organização.

O Conselho lançou na sexta-feira um apelo a pedir "senhorios solidários", informando que necessita de casas para alugar em todo o país e que, neste momento, tem "muita urgência em apartamentos T0 ou T1 nas zonas de Oeiras e de Sintra".

Segundo a presidente do CPR, Teresa Tito de Morais, o Conselho tem parcerias com algumas autarquias para garantir alojamentos para os refugiados, mas "por vezes escasseiam alternativas de residências a um custo não muito elevado".

O CPR pretende criar "uma carteira de casas que possam ser alugadas à medida que vão chegando os refugiados", explicou à Lusa.

O Conselho apela à solidariedade dos senhorios para que disponibilizem habitações "a um preço acessível", disse Teresa Tito de Morais.

A responsável esclareceu que as casas com uma ou duas assoalhadas que o Conselho procura neste momento se destinam a famílias até quatro pessoas, como famílias monoparentais ou casais com dois filhos.

O CPR pede aos senhorios que estejam interessados para que enviem as suas propostas para o correio eletrónico geral@cpr.pt.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.