sicnot

Perfil

País

Conselho para os Refugiados procura "senhorios solidários"

(Arquivo/Reuters)

© Muhammad Hamed / Reuters

O Conselho Português para os Refugiados (CPR) procura, com "muita urgência", apartamentos para alugar "a preços acessíveis", destinados aos refugiados que estão a chegar a Portugal, disse à Lusa a responsável da organização.

O Conselho lançou na sexta-feira um apelo a pedir "senhorios solidários", informando que necessita de casas para alugar em todo o país e que, neste momento, tem "muita urgência em apartamentos T0 ou T1 nas zonas de Oeiras e de Sintra".

Segundo a presidente do CPR, Teresa Tito de Morais, o Conselho tem parcerias com algumas autarquias para garantir alojamentos para os refugiados, mas "por vezes escasseiam alternativas de residências a um custo não muito elevado".

O CPR pretende criar "uma carteira de casas que possam ser alugadas à medida que vão chegando os refugiados", explicou à Lusa.

O Conselho apela à solidariedade dos senhorios para que disponibilizem habitações "a um preço acessível", disse Teresa Tito de Morais.

A responsável esclareceu que as casas com uma ou duas assoalhadas que o Conselho procura neste momento se destinam a famílias até quatro pessoas, como famílias monoparentais ou casais com dois filhos.

O CPR pede aos senhorios que estejam interessados para que enviem as suas propostas para o correio eletrónico geral@cpr.pt.

Lusa

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.