sicnot

Perfil

País

GNR detém 37 pessoas em flagrante delito em todo o país

A GNR divulgou hoje a detenção 37 pessoas em flagrante delito em todo o país durante várias operações entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 25 das quais por condução sob o efeito de álcool.

De entre os detidos estão também seis por tráfico de estupefacientes, três por condução sem habilitação legal, dois por furto em veículo e um por posse de arma proibida.

Durante as operações foram apreendidas 572 doses de haxixe e uma arma branca.

A GNR divulgou ainda ter detetado 791 infrações durante operações de fiscalização do trânsito, 125 por excesso de velocidade, 53 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 37 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças, 31 por falta de inspeção periódica obrigatória e 19 por uso indevido do telemóvel durante a condução.

Foram também registados 95 acidentes dos quais resultaram três feridos graves e 37 feridos leves.

Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.