sicnot

Perfil

País

Cristas diz que CDS e PSD são "amigos e aliados" mas têm estratégias próprias

A líder do CDS, Assunção Cristas, candidata à Câmara de Lisboa nas autárquicas de 2017, afirmou este domingo que o partido e o PSD "são amigos e aliados", mas têm estratégias e calendários próprios.

"O CDS e o PSD são partidos amigos, são partidos aliados em muitas câmaras municipais, mas naturalmente que temos as nossas estratégias. É natural que assim seja e é bom para a democracia que assim seja", afirmou aos jornalistas, em Ponte de Lima, onde assiste hoje às Feiras Novas.

"Manteremos sempre o diálogo, muito construtivo em vários domínios, sabendo que há agendas e calendários próprios. Eu acho que isso é salutar", acrescentou Assunção Cristas.

A líder do CDS-PP anunciou no sábado, na 'rentrée' política do partido, que vai concorrer à autarquia da capital, atualmente liderada pelo PS.

Desde 1976, quando se realizaram as primeiras eleições autárquicas, o PSD e o CDS-PP concorreram por várias vezes coligados à Câmara Municipal de Lisboa, incluindo nos dois atos eleitorais mais recentes, em 2009 e 2013.

Questionado no sábado pelos jornalistas, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, desejou "a melhor sorte" a Assunção Cristas e reiterou que o seu partido não vai tomar uma decisão sobre a candidatura a este município nos próximos meses.

Contactado pela Lusa, o líder da concelhia de Lisboa do PSD, Mauro Xavier, disse que o partido recusa concorrer à câmara da capital numa lista que não seja encabeçada por um social-democrata, colocando de parte uma "potencial coligação" com o CDS-PP.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05