sicnot

Perfil

País

Cristas diz que CDS e PSD são "amigos e aliados" mas têm estratégias próprias

A líder do CDS, Assunção Cristas, candidata à Câmara de Lisboa nas autárquicas de 2017, afirmou este domingo que o partido e o PSD "são amigos e aliados", mas têm estratégias e calendários próprios.

"O CDS e o PSD são partidos amigos, são partidos aliados em muitas câmaras municipais, mas naturalmente que temos as nossas estratégias. É natural que assim seja e é bom para a democracia que assim seja", afirmou aos jornalistas, em Ponte de Lima, onde assiste hoje às Feiras Novas.

"Manteremos sempre o diálogo, muito construtivo em vários domínios, sabendo que há agendas e calendários próprios. Eu acho que isso é salutar", acrescentou Assunção Cristas.

A líder do CDS-PP anunciou no sábado, na 'rentrée' política do partido, que vai concorrer à autarquia da capital, atualmente liderada pelo PS.

Desde 1976, quando se realizaram as primeiras eleições autárquicas, o PSD e o CDS-PP concorreram por várias vezes coligados à Câmara Municipal de Lisboa, incluindo nos dois atos eleitorais mais recentes, em 2009 e 2013.

Questionado no sábado pelos jornalistas, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, desejou "a melhor sorte" a Assunção Cristas e reiterou que o seu partido não vai tomar uma decisão sobre a candidatura a este município nos próximos meses.

Contactado pela Lusa, o líder da concelhia de Lisboa do PSD, Mauro Xavier, disse que o partido recusa concorrer à câmara da capital numa lista que não seja encabeçada por um social-democrata, colocando de parte uma "potencial coligação" com o CDS-PP.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.