sicnot

Perfil

País

Encontradas "falhas notórias" no controlo dos Kamov de combate de incêndios

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) concluiu que existiram "falhas notórias" nos procedimentos que asseguram que os helicópteros Kamov de combate a incêndios respeitam os requisitos para operarem em segurança, noticia hoje o jornal Público.

De acordo com um documento da IGAI a que o diário teve acesso, são três os altos dirigentes da Autoridade Nacional de Proteção Civil responsáveis por "99 deficiências - tecnicamente chamadas 'situações de não conformidade' -- no controlo de cinco helicópteros Kamov", propriedade do Estado. Entre os responsáveis está o presidente que se demitiu a 05 de setembro, Francisco Grave Pereira.

Segundo o Público, a análise técnica da documentação das aeronaves foi feita pela Inspeção Geral da Força Aérea, que prestou apoio técnico aos instrutores da IGAI e que, com base nessa avaliação, conclui que existiram "falhas notórias na esfera da gestão da aeronavegabilidade" por parte da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

As deficiências que a Força Aérea imputa aos responsáveis da proteção civil foram divididas em várias categorias, sendo que a maioria das "situações de não conformidade", de 64 de 99, diz respeito a falhas no controlo do tempo de vida dos componentes instalados nos helicópteros, o que implica que pode ter havido peças usadas depois de esgotado o seu tempo de vida útil.

Outra das anomalias mais detetadas, 16 vezes, tem a ver com o "controlo ineficaz do processo de manutenção", o que pode ter levado à instalação nos Kamov de componentes que não cumpriam os requisitos, refere a notícia.

Foram também detetados problemas na configuração do programa informativo que regista ao pormenor todas as ações de manutenção e no preenchimento do mesmo, segundo avança o jornal.

À Lusa, fonte do Ministério da Administração Interna revelou que o relatório da IGAI tem "caráter sigiloso", escusando-se a fazer qualquer comentário.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.