sicnot

Perfil

País

Militares internados registam melhoria do estado clínico

Dois militares do curso de Comandos permanecem internados no Hospital das Forças Armadas, apresentando ambos melhoria do estado clínico, informou esta terça-feira o porta-voz do Exército, Vicente Pereira.

"No seguimento das melhorias registadas nos últimos dias, o militar que se encontrava na Unidade de Tratamentos Intensivos foi transferido, na tarde de segunda-feira, para o Serviço de Medicina. Ambos os militares, agora internados no Serviço de Medicina, apresentam um estado clínico de melhoria analítica", refere o Exército.

No sábado passado, morreu Dylan Araújo da Silva, militar dos Comandos que estava internado em estado muito grave, com complicações hepáticas, no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, desde o dia 6 de setembro.

Tratou-se da segunda morte de um militar na sequência do treino do 127.º Curso de Comandos na região de Alcochete, no distrito de Setúbal, que decorreu no domingo passado (04 de setembro). No dia do treino, o militar Hugo Abreu morreu e vários outros receberam assistência hospitalar.

O caso já desencadeou investigações, instauradas quer pelo chefe do Estado-Maior do Exército, quer pela Procuradoria-Geral da República e levou à suspensão dos cursos de Comandos do Exército.

Questionado sobre as investigações em curso, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, disse que não irá fazer antecipações sobre eventuais conclusões quando ainda há trabalhos a decorrer.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.