sicnot

Perfil

País

António Costa considera que defender o SNS é desenvolver mais políticas de saúde públicas

O primeiro-ministro António Costa disse esta quinta-feira, em Coimbra, que a melhor forma de defender o Serviço Nacional de Saúde (SNS), que completa o 37.º aniversário, é desenvolver mais políticas de saúde na rede pública.

"Para defender o SNS não basta celebrá-lo, praticá-lo, é preciso desenvolvê-lo. E desenvolver o SNS é seguramente prosseguir o que ainda falta fazer: desenvolver a rede de cuidados de saúde primários, densificar e trazer novas valências para os cuidados de saúde primários, desde a saúde oral à oftalmologia, mas também os cuidados continuados, que é uma necessidade crescente, num país que tem ganho esperança de vida", sublinhou.

O chefe do Governo discursava na sessão de homenagem ao SNS e a António Arnaut, autor da lei da sua criação, em 1978, que decorreu ao início da tarde no auditório dos Hospitais da Universidade de Coimbra, promovida pelo Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e Administração Regional de Saúde do Centro.

Na sua intervenção, que demorou cerca de cinco minutos, o primeiro-ministro salientou que "a criação do SNS é, certamente, um dos maiores ganhos civilizacionais que a democracia nos deu, que se traduz, desde logo, pela qualidade dos ganhos de saúde para a população, desde a redução extraordinária da mortalidade infantil ao aumento da esperança de vida".

"Esses ganhos de saúde e a sua acessibilidade a todos os cidadãos é, seguramente, um dos maiores ganhos que o 25 de Abril tornou possível", reiterou António Costa, considerando que o SNS é hoje um "fator de coesão nacional, mas também de unidade política em Portugal".

Salientando que hoje "todos defendemos o SNS", o governante recordou que, há 37 anos, não existia consenso atual no espetro político, mas que o SNS "suplantou todos os receios" e depois de "muitos Governos, múltiplas políticas e prioridades de saúde, permanece e resiste".

Antes da sessão de homenagem ao SNS, da qual saiu logo a seguir à sua intervenção, o primeiro-ministro presidiu à inauguração de um busto do advogado António Arnaut, que ficou localizado no centro de uma rotunda que dá acesso ao auditório dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC