sicnot

Perfil

País

Governo quer acabar com fumo junto de escolas e centros de saúde

O Governo aprovou esta quinta-feira alterações à lei do tabaco, designadamente em relação ao conceito de fumar novos produtos do tabaco sem combustão, vulgarmente conhecido como cigarro eletrónico, e medidas contra a exposição, publicidade e promoção do fumo.

A proposta de lei hoje aprovada pelo Conselho de Ministros, que foi exclusivamente dedicado à saúde e decorreu em Coimbra, prevê a "proibição de fumar nos parques infantis e nas áreas situadas junto das portas e janelas" dos estabelecimentos de cuidados de saúde e de ensino.

As normas hoje aprovadas visam "proteger os cidadãos da exposição involuntária ao fumo do tabaco, assim como contribuir para a prevenção e controlo do consumo", sublinha, no comunicado distribuído após a reunião, o Conselho de Ministros.

Estas proibições, que procuram contribuir para beneficiar "a qualidade de vida dos cidadãos", não preveem, no entanto, medidas punitivas.

"As atitudes e comportamentos não se resolvem, nem se devem regular por aspetos de natureza legal, mas podem ser sinalizados e a lei, mais do que um caráter punitivo, pode ter um caráter de mensagem de sinalização e de alerta", sustentou, durante a conferência de imprensa após a reunião, o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

"Ninguém aceita como positivo que exista uma concentração de pessoas a fumar junto de unidades de saúde frequentadas por doentes ou em escolas frequentadas por jovens", acrescentou.

Esta medida pretende ser "um sinal, um incentivo à mudança de comportamentos", sublinhou Adalberto Campos Fernandes.

O Conselho de Ministros aprovou também uma proposta de lei para regular o Registo Oncológico Nacional, que "agrega numa única plataforma informática os diversos registos regionais", garantindo "a uniformidade dos dados e da informação tratada" e permitindo a sua utilização para avaliação epidemiológica e análise da efetividade dos rastreios e terapêuticas".

O Registo, que permitirá "conhecer melhor a realidade oncológica nacional", garante a proteção de dados pessoais, respeitando as recomendações feitas, nesse sentido, pela Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD, assegurou o ministro da Saúde.

Para "aumentar a eficácia e eficiência do Serviço Nacional de Saúde (SNS)", o Governo aprovou medidas sobre a gestão dos hospitais e da "circulação de informação clínica" e de "melhoria da governação do SNS".

Entres essas medidas, de referir as que se relacionam com o regime jurídico e os estatutos aplicáveis às unidades do SNS com natureza de entidades públicas empresariais e as integradas no setor público administrativo.

O objetivo é "melhorar a articulação entre diferentes níveis de cuidados de saúde", designadamente hospitalares, primários, continuados integrados e paliativos" e permitir, simultaneamente, "maior transparência, nos processos de recrutamento e formação de equipas mais profissionalizadas, afirma o Governo.

O Governo também aprovou, entre outras decisões, a nomeação de Jorge Simões e de Maria do Céu Machado para presidente e vice-presidente, respetivamente, do Conselho Nacional de Saúde.

Este órgão independente visa "garantir a procura de consensos alargados relativamente à política de saúde".

Lusa

  • Nova lei do tabaco entra hoje em vigor

    País

    A nova lei do tabaco entra esta sexta-feira em vigor, mas as imagens chocantes só passam a constar dos maços de cigarros em maio e a proibição total de fumar em espaços públicos fechados só vigorará em 2021.

  • "Hoje vi chover lume"
    3:57
  • A Minha Outra Pátria
    29:53
  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24

    Economia

    Milhares de clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que até aqui estavam isentos de qualquer pagamento, vão começar a pagar quase 5 euros por mês por comissões de conta. A medida abrange também reformados e pensionistas e entra em vigor já em setembro. Ainda assim, os clientes com mais de 65 anos e uma pensão inferior a 835 euros por mês continuam isentos.

  • O apelo da adolescente arrependida de ir lutar pelo Daesh

    Daesh

    Uma adolescente alemã que desapareceu da casa dos pais, no estado da Saxónia, esteve entre os vários militantes do Daesh detidos este fim de semana na cidade iraquiana de Mossul. Arrependida do rumo que deu à sua vida, deixou um apelo emocionado em que expressa, repetidamente, a vontade de "fugir" e voltar para casa.

    SIC