sicnot

Perfil

País

Governo vai fechar farmácias de venda ao público em hospitais do SNS

As únicas farmácias de venda ao público que funcionam em hospitais públicos, no Beatriz Ângelo (Loures) e no Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, vão encerrar assim que termine o prazo de concessão, em 2018 e 2019, respetivamente.

A medida é uma das várias que o Governo vai aprovar no Conselho de Ministros dedicado à saúde que se realiza em Coimbra hoje, Dia do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O diploma revoga o regime de instalação e funcionamento de farmácias de dispensa de medicamentos ao público nos hospitais do SNS, "uma vez que se constatou que os princípios de interesse público e de acessibilidade que presidiram à implementação deste regime não se demonstraram, e que se encontra devidamente assegurada a acessibilidade dos utentes aos medicamentos através da rede de farmácias comunitárias existentes com a adequada cobertura de serviços de turnos existente".

As duas farmácias que existem em hospitais públicos vão, assim, fechar as portas quando for alcançado o prazo da concessão.

A farmácia do Hospital Beatriz Ângelo funciona desde 17 de fevereiro de 2013 e o prazo de concessão termina a até 17 de fevereiro de 2018.

Em relação à farmácia do Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, esta está em funcionamento desde 28 de março de 2014 e tem uma concessão até 28 de março de 2019.

Lusa

  • Condutora que atropelou peregrinos "internada compulsivamente"

    País

    A condutora do veículo que hoje atropelou seis peregrinos na Estrada Nacional 365, em Alcanena, apresentava problemas do foro psicológico e teve de ser internada compulsivamente. O atropelamento esta madrugada fez uma vítima mortal, um homem, e feriu cinco pessoas, uma das quais em estado grave.

  • Maduro deve ser reeleito em eleições contestadas pela oposição
    1:46

    Mundo

    Os venezuelanos elegem hoje o Presidente que deverá estar à frente do país até 2025. Há quatro candidatos, mas Nicolás Maduro é o favorito na corrida. A oposição apelou ao boicote e vários países da América e das Caraíbas, os EUA e a UE já avisaram que não reconhecerão resultados de uma eleição que não é livre nem transparente.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23