sicnot

Perfil

País

"Os Verdes" exigem encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz

O partido ecologista "Os Verdes" (PEV) exigiu esta sexta-feira o encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz depois da revelação feita sobre o uso de peças produzidas numa fábrica com irregularidades nos dossiês de controlo de qualidade.

"Os Verdes exigem o encerramento desta central nuclear [Almaraz] face a todos os elementos de insegurança que já se conhecia, acrescendo agora esta revelação do Conselho de Segurança Nuclear de Espanha", referem os ambientalistas, em comunicado enviado à agência Lusa.

O Conselho de Segurança Nuclear (CSN) espanhol revelou, num comunicado divulgado na quinta-feira, que a central nuclear de Almaraz, junto à fronteira portuguesa, usa peças produzidas numa fábrica com irregularidades nos dossiês de controlo de qualidade, mas garantiu que não constituem motivo para as retirar de funcionamento.

As peças provenientes da forja com irregularidades foram usadas para fabricar os geradores de vapor 2 e 3 da unidade 1 e o gerador de vapor 3 da unidade 2 da central nuclear de Almaraz, bem como os geradores de vapor 1 e 2 da unidade 1 e o gerador de vapor 1 da unidade 2 da central nuclear de Ascó. Também está em causa o rebordo da tampa do reator da unidade 2 de Almaraz.

O PEV reafirma que a central nuclear espanhola de Almaraz, situada a escassos 100 quilómetros da fronteira portuguesa, junto ao Tejo, "constitui um perigo iminente para as populações, para o território e para os recursos naturais tão fundamentais como é o rio Tejo".

"Os portugueses devem mobilizar-se com os espanhóis no sentido de exigirem aquilo que é fundamental: O encerramento da central nuclear de Almaraz", concluem.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Míssil lançado do Iémen intercetado perto de Meca

    Mundo

    Um míssil balístico lançado pelos rebeldes xiitas do Iémen foi intercetado, quinta-feira à noite, perto de Meca, na Arábia Saudita, a um mês da peregrinação muçulmana anual do hajj, anunciou a coligação árabe que intervém no Iémen.