sicnot

Perfil

País

Conhecido acórdão de 34 arguídos acusados de fraude fiscal, incluindo um inspetor da PJ

Um inspetor da Polícia Judiciária e outros 33 arguidos, incluindo quatro empresas, acusados de associação criminosa e de uma fraude fiscal de 6,6 milhões de euros em negócios de ouro, devem conhecer hoje o acórdão do Tribunal de Almada.

O processo foi distribuído à Instância Central Criminal de Almada, mas, por questões de logística, o julgamento, que teve início em janeiro deste ano, decorreu nas instalações do Tribunal do Seixal.

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu a condenação dos principais arguidos, onde se incluem um inspetor da PJ e um antigo presidente da Associação de Comerciantes de Ourivesaria e Relojoaria do Sul, pela prática dos crimes de associação criminosa, corrupção e branqueamento de capitais.

De acordo com a acusação proferida pelo Ministério Público, oito dos arguidos, em data não determinada, "decidiram constituir um grupo destinado à aquisição, em larga escala, de objetos em ouro no mercado nacional que posteriormente seriam fundidos, transformados em barras e vendidos no mercado internacional".

O despacho de acusação referia, também, que o grupo adquiria peças em ouro através de lojas próprias e de fornecedores espalhados pela zona da Grande Lisboa e Alentejo, sem proceder à respetiva declaração fiscal e à comunicação, obrigatória, à Polícia Judiciária.

O Ministério Público defendia, ainda, que os objetos recolhidos pelo grupo eram depois fundidos e transformados em barras de ouro, que eram vendidas na Bélgica.

Os dados recolhidos durante a investigação efetuada pela Polícia Judiciária de Setúbal, que demorou cerca de um ano e só foi concluída em março de 2015, permitiu apurar que a organização terá vendido mais 1.600 quilogramas de barras de ouro na Bélgica, o que representa mais de 61,9 milhões de euros, pelo que o valor da fraude fiscal está calculado em 6,6 milhões de euros.

A leitura do acórdão está marcada para as 09:30, no Tribunal do Seixal.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.

  • Incêndio na Amadora deixa 12 pessoas desalojadas
    1:59

    País

    Um incêndio destruiu este domingo a cobertura de um prédio de habitação na Buraca, no concelho da Amadora. Doze pessoas ficaram desalojadas, mas ninguém ficou ferido. Os bombeiros dominaram o fogo em cerca de uma hora, os moradores queixam-se da falta de eficácia no combate às chamas.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa