sicnot

Perfil

País

Portugueses estão "mais solitários e deprimidos"

reuters

A historiadora Raquel Varela e o psiquiatra António Coimbra de Matos alertam no livro "Do Medo à Esperança" que os portugueses estão cada vez mais solitários e deprimidos, sobretudo em virtude de questões laborais.

"Os quadros mais notórios e frequentes são a depressão, a doença psicossomática e os conflitos laborais, com pesados custos para o indivíduo e para a sociedade. Nos dias de hoje, a morbilidade por exaustão no trabalho inunda as consultas médicas e psicológicas", refere o psiquiatra Coimbra de Matos no livro que vai ser apresentado hoje.

"Do Medo à Esperança" é transcrição de uma longa conversa, mantida durante os primeiros meses de 2016, entre o psiquiatra António Coimbra de Matos, 87 anos, e a historiadora Raquel Varela, 37 anos, sobre o estado geral em que se encontra a sociedade portuguesa contemporânea.

"Nós constatamos que a sociedade portuguesa é uma sociedade com graves depressões individuais. O número de depressões está a aumentar e o estado de desmoralização nos locais de trabalho, profundamente competitivos e torturadores, está também a aumentar", disse hoje à Lusa Raquel Varela.

Segundo a historiadora, o livro propõe também uma reflexão sobre a ausência de resistência necessária para inverter as "situações adversas", propondo como soluções a "construção de relações e o envolvimento em organizações participativas" capazes de reconstruir ligações de afeto entre as pessoas, com o trabalho, com o bairro e com a família.

"É triste constatar que muitas pessoas continuam casadas porque não têm como pagar a casa. Têm uma dívida ao banco e mantêm uma relação que já não é de afeto", salientou Raquel Varela acrescentando que o livro debate também, entre outros aspetos, o isolamento não só dos mais velhos mas também dos jovens e das crianças.

"As pessoas estão sós e não é por estarem agarradas a uma máquina, a um computador ou a um telemóvel ou à televisão que deixam de estar sós. Por isso, não é nada estranho que as pessoas transfiram os afetos para animais ou coleções. É um afeto reduzido porque o afeto da relação humana é o que nos pode tirar da depressão, ao tirar-nos da solidão", explicou a historiadora.

Raquel Varela é investigadora do Instituto de História Contemporânea e autora da "História do Povo na Revolução Portuguesa 1974-75" além dos estudos publicados sobre a Segurança Social e Estado Social em Portugal.

António Coimbra de Matos, psiquiatra, pedopsiquiatra, psicanalista e professor na Faculdade de Psicologia de Lisboa durante mais de trinta anos e autor dos livros "A Depressão", "O Desespero" e "Psicanálise e Psicoterapia Psicanalítica", entre outros.

O livro "Do Medo à Esperança" de Raquel Varela e António Coimbra de Matos (Bertrand Editora, 181 páginas) vai ser apresentado hoje ao fim da tarde, em Lisboa.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.