sicnot

Perfil

País

Centenas de pessoas em Lisboa contra a degradação dos transportes públicos

Mais de uma centena de pessoas concentraram-se esta quinta-feira ao final da tarde junto à estação de comboios do Cais do Sodré, em Lisboa, num protesto promovido por utentes e trabalhadores contra a "degradação do serviço de transportes públicos".

"Mais e melhores acessibilidades", "Transportes para todos", "Reposição imediata de carruagens na linha verde [do metro]", "Direito à mobilidade" e "Nós, estudantes, queremos mais transportes e passe escolar" eram algumas das frases inscritas nos cartazes exibidos pelos participantes.

Tendo em conta a elevada adesão à iniciativa, a organização -- que juntou a Comissão de Utentes dos Transportes Públicos de Lisboa e a Federação de Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) -- decidiu levar o protesto até ao Largo de Camões.

Pelas 18:30, os participantes estavam a subir a Rua do Alecrim, que liga esta praça ao Cais do Sodré.

Entre eles estavam a vereação da CDU e deputados municipais.

O vereador comunista João Ferreira sublinhou a importância de a concentração juntar utentes e trabalhadores.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras