sicnot

Perfil

País

Maria José Morgado diz que há alçapões legais que dificultam luta contra a corrupção

A procuradora-geral distrital de Lisboa disse esta quinta-feira que "continua a haver muitos alçapões legais" na legislação portuguesa que dificultam a investigação criminal e a condenação dos fenómenos de corrupção.

"Apesar da muita legislação produzida e do muito que se tem avançado na luta contra a corrupção nos últimos anos em Portugal, continua a haver muitos alçapões legais" e o quadro legal existente potencia dificuldades na investigação e depois em sede de condenação criminal", disse Maria José Morgado, antiga diretora do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP).

A procuradora-geral adjunta falava na 2.ªa Conferência do Observatório para as Condições de Vida, a decorrer hoje e sexta-feira na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa.

Num painel dedicado ao tema "Problemas de justiça numa sociedade desigual", Maria José Morgado fez uma intervenção sobre "Os custos da corrupção", na qual sublinhou que a sua intervenção "não acrescentaria nada" ao que tem defendido "ao longo de muitos anos".

Ao referir que não falta legislação contra a corrupção em Portugal, Maria José Morgado defendem mecanismos de fiscalização ao nível da prevenção do fenómeno.

Porque a situação "melhorou muito, mas não é ainda a desejável no sentido de fortalecer as instituições públicas para detetarem precocemente fenómenos de corrupção", observou.

"É quase como o cancro, se não for detetado precocemente, depois há tantas metástases que não há nada a fazer", disse a procuradora, alertando que não basta haver códigos de conduta na administração pública se não houver mecanismos de fiscalização.

Entre os obstáculos no combate à corrupção, Maria José Morgado mencionou a legislação "frouxa" de proteção ao denunciante, a falta de recursos -- "que chega a ser caricata" - nos DIAP, a falta de autonomia financeira dos mesmos e o sigilo bancário.

A procuradora-geral adjunta disse ainda continuar a haver em Portugal "zonas problemáticas e de risco" entre as quais citou a dos contratos públicos e a conduta dos políticos em "fenómenos de porta giratória" ou seja, quando estes usam os cargos políticos como plataforma de passagem para empresas privadas.

"Isto não é corrupção diretamente, mas é uma espécie de húmus que cria terreno favorável ao estabelecer da patologia", disse, a propósito.

Moderado pelo sociólogo António Pedro Dores, o painel contou ainda com a participação da professora catedrática Maria Eduarda Gonçalves. Prevista estava também a participação de Carlos Moreno, juiz jubilado do Tribunal de Contas, que não esteve presente por se encontrar doente.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC