sicnot

Perfil

País

PSD, PAN, CDS e BE pelo fim do IVA nas terapêuticas não convencionais

© Kim Hong-Ji / Reuters

Quatro projetos de lei do PSD, PAN, CDS e BE com vista à isenção do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) na prestação de serviços no exercício das terapêuticas não convencionais vão ser debatidos sexta-fera em sessão plenária.

O PSD pretende que, "ao exercício das terapêuticas não convencionais" seja "aplicável um regime tributário em sede de IVA que seja neutral e não discrimine em função de o ato ou serviço ser praticado por médico, no âmbito das competências reconhecidas pela respetiva Ordem, ou por profissional das terapêuticas não convencionais que exerça a sua atividade ao abrigo da presente lei e da respetiva regulamentação".

O projeto de lei especifica que, para efeitos de aplicação da presente lei, "são reconhecidas como terapêuticas não convencionais as praticadas pela acupunctura, homeopatia, osteopatia, naturopatia, fitoterapia, quiropraxia e medicina tradicional chinesa".

Para o PAN (Pessoas, Animais, Natureza), "a atividade dos profissionais das terapêuticas não convencionais (...) não pode ter um tratamento fiscal distinto ao concedido ao exercício da prestação de cuidados médicos convencionais".

O projeto de lei deste partido "enquadra as terapêuticas não convencionais na Lei de Bases da Saúde".

A iniciativa do CDS vai no sentido de alterar o Código do IVA, "com o intuito de isentar as prestações de serviços efetuadas no exercício das profissões no âmbito das terapêuticas não convencionais".

Recordando que as terapêuticas não convencionais "não estão isentas do pagamento de IVA", o CDS propõe o fim destas "situações de injustiça social e de discriminação entre profissões devidamente regulamentadas" e defende que estas profissões sejam isentas do pagamento de IVA.

O projeto de lei do BE começa por recordar que "os profissionais das terapêuticas não convencionais são, evidentemente, profissionais de saúde".

"Exercem funções relacionadas com a saúde dos seus utentes, a sua carteira profissional é emitida pela Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS), a sua formação é na área da saúde, são atividades reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS)", prossegue este partido, na sua exposição de motivos.

O BE propõe que sejam isentas de cobrança de IVA "as prestações de serviços efetuadas pelos profissionais de terapêuticas não convencionais reconhecidas" na legislação.

Na sessão plenária de sexta-feira será ainda debatido um projeto de resolução do CDS que "recomenda ao Governo que assegure a nulidade da interpretação feita pela Autoridade Tributária relativamente à cobrança retroativa do IVA às prestações de serviços das Terapêuticas Não Convencionais".

Isto porque, em agosto de 2015, a Autoridade Tributária elaborou uma "interpretação errada" que "levou a cobrar o IVA aos profissionais das terapêuticas não convencionais, com retroatividade de quatro anos".

No entanto, já este ano e a propósito de um pedido da Associação Portuguesa dos Profissionais de Acupuntura, a Autoridade da Concorrência emitiu uma recomendação ao governo no sentido de isentar de IVA a prestação de serviços de acupunctura pelos profissionais das terapêuticas não convencionais" regulamentadas pela legislação, "equiparando estes profissionais a outras profissões paramédicas".

Lusa

  • Proteção Civil desmobiliza meios em Setúbal

    País

    A Proteção Civil vai começar a desmobilizar, hoje à tarde, meios de combate ao incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal e que já está em fase de rescaldo, disse à agência Lusa o vereador da Proteção Civil Municipal.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • Portugal condenado por decisão "discriminatória e preconceituosa"
    1:19

    País

    Portugal voltou a ser condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, desta vez por causa de uma decisão discriminatória e preconceituosa. Trata-se do caso da mulher a quem o Supremo Tribunal Administrativo baixou o valor de uma indemnização por negligência médica. Entre os vários argumentos usados, os juízes portugueses consideraram que a sexualidade é menos importante quando se tem 50 anos e dois filhos.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26

    País

    O candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, foi entrevistado esta terça-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. Em análise, a polémica em torno das declarações do candidato sobre a comunidade cigana.

    Entrevista SIC Notícias

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.