sicnot

Perfil

País

GNR deteve 468 pessoas durante o fim de semana

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve na última semana 468 pessoas em flagrante delito, a maioria das quais por condução sob o efeito do álcool, e apreendeu 1.280 doses de haxixe em operações de fiscalização.

Em comunicado, a GNR adiantou que, na última semana, deteve 468 pessoas em flagrante delito, 159 das quais por condução sob o efeito do álcool, 63 por condução sem habilitação legal, 41 por tráfico de estupefacientes, nove por furto e sete por posse ilegal de arma.

A GNR informou também que foram apreendidas 1.280 doses de haxixe, 500 doses de anfetaminas, 444 doses de óleo de canábis, 376 doses de folhas de canábis, 97 doses de cocaína, 43 doses de heroína e 25 plantas de canábis.

Entre os dias 16 e 22 de setembro, a GNR apreendeu ainda 22 armas de fogo, 16 armas brancas, 12 veículos e 440 euros em numerário, 2,7 toneladas de pescado, 387 artigos contrafeitos e 593 munições de vários calibres.

No que diz respeito ao trânsito, a GNR detetou 11.279 infrações, das quais 2.419 deveram-se a excessos de velocidade, 714 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 478 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução e 465 por falta de inspeção periódica obrigatória.

Das infrações detetadas, 324 foram por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei e 320 estavam relacionadas com tacógrafos.

As operações realizaram-se em todo o território nacional com o objetivo de prevenir e combater a criminalidade violenta e de fiscalização rodoviária, acrescenta a GNR no comunicado.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.