sicnot

Perfil

País

MP investiga morte de funcionário do aeroporto de Lisboa

O Ministério Público abriu um inquérito à morte de um funcionário do aeroporto de Lisboa que, segundo o sindicato de trabalhadores da Inspeção Tributária, não foi assistido a tempo devido, em parte, à inexistência de um desfibrilhador na alfândega.

"Confirma-se a existência de um inquérito a correr termos no DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Lisboa", disse à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República.

O funcionário João Moura morreu no sábado, depois de se ter sentido mal, tendo sido encontrado inanimado. A APIT -- Associação Sindical dos Profissionais da Inspeção Tributária e Aduaneira considera que a assistência foi demorada, em parte devido à inexistência de equipamento de emergência médica na alfândega do aeroporto.

"Não se entende que, num local onde estão centenas de trabalhadores de vários organismos, não exista aquilo que são os equipamentos de sobrevivência, de emergência médica, como é um desfibrilhador, e que deveria existir obrigatoriamente ali. Existe no lado dos passageiros, mas do lado da carga não", disse à Lusa António Castela, vice-presidente da APIT.

Segundo António Castela, o socorro prestado a João Moura foi demorado devido a "um conjunto de circunstâncias que se acumularam (...), desde a ambulância da Cruz Vermelha existente no aeroporto de Lisboa ter sido interditada de passar num caminho de circulação fora de pista, e que obrigou à chamada externa do INEM, que também teve de tirar 'ticket' de entrada e pagá-lo à saída com toda a morosidade existente".

"Calculamos que o colega esteve cerca de meia hora sem cuidados médicos, apesar de ter estado no local um outro colega da Groundforce, que tem curso de primeiros socorros, e de este lhe ter feito tentativas de reanimação", adiantou.

António Castela considerou "gravíssimo" que não haja equipamento de emergência médica nas instalações, lembrando que se trata de um aeroporto internacional.

O dirigente sindical defendeu que tanto do lado dos passageiros como "do lado de quem trabalha e suporta o aeroporto a funcionar" deveria existir o equipamento, já que por lei é obrigatório.

Segundo o responsável, existem "centenas de pessoas a trabalhar diariamente no local", que é também de acesso ao público, já que há armazéns, transitários, despachantes, alfândega e companhias de aviação.

O vice-presidente da APIT avançou ainda que a Direção Geral das Alfândegas já abriu um inquérito para apurar o que aconteceu no sábado, dia 18 de setembro.

Segundo o comunicado da APIT, emitido no sábado, é necessário também "analisar o indeferimento por parte da ANA (Vinci), na pessoa do seu supervisor em serviço no dia em causa, do acesso da viatura médica através de arruamentos do aeroporto que permitiriam um acesso mais rápido de cuidados médicos urgentes ao colega em causa".

A APIT solicitou ainda junto dos serviços médicos de urgência, que intervieram junto da vítima, "informações sobre a sua deslocação até junto do mesmo, as dificuldades encontradas e a informação prestada".

Lusa

  • Morte de funcionário põe em causa socorro no aeroporto de Lisboa
    2:36

    País

    O auxílio a um funcionário da Alfândega do Aeroporto da Portela está a levantar dúvidas. O homem foi socorrido pelo INEM quando, segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, havia uma ambulância da Cruz Vermelha a poucos metros. O homem acabou por morrer no Hospital de Santa Maria. A secretária de Estado dos Assuntos Fiscais, através da Autoridade Tributária, já pediu esclarecimentos à ANA, gestora dos aeroportos de Portugal.

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59