sicnot

Perfil

País

PSD, PS e CDS travam congelamento das propinas requerido por Bloco e PCP

PSD, PS e CDS-PP reprovaram hoje projetos do Bloco de Esquerda e do PCP que pretendiam congelar e proibir qualquer aumento do valor das propinas no Ensino Superior público, diploma também apoiado por PCP e "Os Verdes".

No caso do diploma do PCP, o objetivo era "proibir" o aumento das propinas no Ensino Superior público, enquanto a formulação escolhida pelo Bloco de Esquerda apontou no sentido de "congelar o valor das propinas para o primeiro, segundo e terceiro ciclos do Ensino Superior.

Já por unanimidade foi aprovado um requerimento do Bloco de Esquerda para baixa direta a comissão parlamentar do seu projeto que pretende criar um mecanismo extraordinário de regularização de dívidas por não pagamento de propinas nas instituições de Ensino Superior públicas.

Também um requerimento do PS permitiu que baixasse diretamente a sede de comissão, sem votação na generalidade, um diploma apresentado pela bancada socialista que tem como objetivo definir um regime de pagamento faseado das propinas devidas pelos estudantes do Ensino Superior.

Este diploma do PS visa ainda criar um regime especial de pagamento por beneficiários de bolsas de ação social.

Nesta serie de votações, por unanimidade, baixou ainda diretamente a comissão parlamentar um projeto do PCP que determina como única consequência pelo incumprimento do pagamento da propina o não reconhecimento do ato académico.

Lusa

  • Mulher assassinada pelo namorado em Faro

    Violência doméstica

    Uma mulher de 31 anos foi encontrada morta esta quarta-feira, em Faro. Ao que tudo indica, o homicida terá sido o namorado, que durante várias horas se barricou no quarto enquanto ameaçava atirar-se do sétimo andar. O casal tinha um historial de violência doméstica e o homem, de 37 anos, já tinha sido detido por violar a namorada.

  • Digital Business Congress já está em Lisboa

    Economia

    O Digital Business Congress decorre até esta quinta-feira, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. No encontro que debate o futuro das telecomunicações, participam os vários responsáveis pelo setor. Marcelo Rebelo de Sousa e o ministro da Cultura participaram esta quarta-feira no evento.