sicnot

Perfil

País

Primeiro-ministro chinês nas Lajes para preparar viagem de Costa

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, explicou esta sexta-feira, em Nova Iorque, que o seu encontro com o primeiro-ministro chinês na Base das Lajes, na Terceira, visa preparar viagem do chefe de governo português à China.

"Não há nenhuma agenda escondida nas reuniões que realizo. A reunião que se fará na segunda-feira é no quadro da preparação da visita do primeiro-ministro António Costa à China", disse à Lusa o ministro português.

O encontro segue-se a uma visita do Presidente chinês, Xi Jinping, que aconteceu em 2014, que incluiu um encontro com o então vice-primeiro-ministro, Paulo Portas.

Além destas visitas de alto nível, que aconteceram desde que em 2012 os Estados Unidos anunciaram a redução da sua presença na base militar, outras delegações técnicas chinesas têm passado pela ilha.

Na Praia da Vitória, concelho onde se localiza a Base das Lajes, existe também um porto oceânico no qual os chineses podem ter interesse.

Augusto Santos Silva não confirma, no entanto, que a China tenha esteja a fazer contatos para explorar a base aérea ou o porto.

"Eu não sei se há interesse chinês nas Lajes. O que sei é que o único interesse português é que ela seja aproveitada plenamente no quadro do acordo de cooperação e defesa que temos com os Estados Unidos", disse o ministro.

No ano passado, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, admitiu que a base podia vir a ser explorada pela China.

Na ocasião, o responsável disse que "a relação diplomática que Portugal tem com a China é muito anterior à relação diplomática que tem com os EUA", acrescentando que "se é certo que, do ponto de vista militar, há muito que nos distingue, do ponto de vista do interesse comercial, se calhar, não há assim tanto".

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.