sicnot

Perfil

País

Jerónimo diz que continuidade do Governo PS depende da reposição de direitos

EDUARDO COSTA

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, garantiu este sábado que não será o seu partido a ditar o fim do Governo, liderado pelo socialista António Costa, mas avisou que a continuidade deste depende da reposição de direitos e salários.

"Este Governo e a sua política irão tanto mais longe quanto mais atenderem às reivindicações, às aspirações dos trabalhadores e do povo. Não será o PCP que, com certeza, determinará o seu fim, não será o próprio Partido Socialista a determinar o seu fim, o que vai determinar o seu fim ou a sua continuidade é se sim ou não mantém este caminho aberto no quadro da nova solução política de se continuar a repor direitos, a repor salários, a repor aquilo que é da mais elementar justiça", afirmou Jerónimo de Sousa.

Para o secretário-geral comunista, "face a isso o Governo PS durará muito", avisando que "se não fizer então a sua responsabilidade é, de facto, grande e determinará o seu fim ou a sua continuidade".

O dirigente comunista discursava em Ponta Delgada, Açores, na apresentação do programa eleitoral da CDU às eleições legislativas regionais de 16 de outubro.

Aos presentes, Jerónimo de Sousa reafirmou que "não deve haver nenhuma confusão com a situação nacional e com a atual solução política", que "não significa qualquer eliminação de diferenças programáticas entre o PCP e o PS".

"Mantemos a nossa independência política, o que aconteceu foi que o PCP e o PS acordaram numa posição conjunta cujas matérias que essa posição contém definem o grau da divergência e o grau de compromisso, mas nenhum partido abdicou da sua independência e do seu programa", reiterou Jerónimo de Sousa, insistindo que o "primeiro e principal compromisso" dos comunistas "continua a ser com os trabalhadores e com o povo".

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.