sicnot

Perfil

País

Lisboa é a 5.ª cidade europeia com maior aumento de turistas

Armando Franca / AP

A capital portuguesa é a quinta cidade europeia com o crescimento mais rápido em número de visitantes internacionais, segundo o estudo "Global Destinations Cities Index", da Mastercard.

Entre 2009 e 2016, o número de visitantes internacionais que pernoitam em Lisboa cresceu 7,4%, com a cidade portuguesa a entrar no 'top' 5 das cidades com o crescimento mais rápido da Europa, juntamente com Hamburgo, Berlim, Istambul e Copenhaga.

"As despesas deste tipo de visitantes internacionais cresceram 1,5% face ao ano anterior, cifrando-se em 1,25 mil milhões de euros, apesar de a média de gastos por visitantes ter descido de 461 euros para 350 euros", lê-se no estudo.

A edição deste ano do "Global Destinations Cities Index" da Mastercard mostra ainda que Lisboa ocupa, no 'ranking' global, o 37.º lugar em visitantes internacionais 'overnight'.

Paulo Raposo, responsável da MasterCard em Portugal, destacou que "o estudo demonstra o potencial de afirmação de Lisboa como destino turístico, ao ser cada vez mais procurada por visitantes internacionais. Apesar disso, constata-se que existem ainda algumas oportunidades de melhoria, sobretudo ao nível da afinação das estratégias que possam contribuir para a qualificação e inovação da oferta e aumento do consumo médio dos visitantes estrangeiros".

No 'ranking' global, Banguecoque foi considerada a principal cidade de destino, ao registar 21,47 milhões de visitantes internacionais, que ficam, pelo menos, uma noite na "Cidade dos Anjos".

Com este registo, a capital tailandesa suplantou Londres (19,88 milhões de visitantes) que, desde que este estudo é feito, ocupou sempre o primeiro lugar no 'ranking'.

Seguem-se-lhes Paris (18,03 milhões), Dubai (15,27 milhões), Nova Iorque (12,75 milhões), Singapura (12,11 milhões), Kuala Lumpur (12,02 milhões), Istambul (11,95 milhões), Tóquio (11,70 milhões) e Seul (10,20 milhões).

"Além de apresentar o 'ranking' das 132 cidades mais visitadas, a nova edição de 2016 vai mais longe ao avançar com uma projeção do volume de visitantes e estimativas de gastos, proporcionando, desta forma, uma compreensão mais profunda da forma como as pessoas viajam e fazem as suas despesas em todo o mundo", salientou, em comunicado, a Mastercard.

A empresa acrescenta que "o estudo vem demonstrar, ainda, como as principais cidades mundiais continuam a ser motores de um crescimento económico mais alargado, sobretudo num momento em que as viagens transfronteiriças e despesas continuam a crescer mais rapidamente que o PIB mundial".

Em termos de despesas feitas por visitantes cuja estada é, pelo menos, de uma noite, uma vertente estudada pela primeira vez pelo "Global Destinations Cities Index" da Mastercard, a maior surpresa é a entrada direta do Dubai para a liderança do 'ranking', ao apresentar um volume de despesas na ordem dos 27,8 mil milhões de euros, muito superior ao segundo classificado (Londres), que apresenta um volume global de despesas estimadas de 17,6 mil milhões de euros.

"A forma como as pessoas viajam e fazem os seus gastos além-fronteiras indica o quão interligadas e importantes as cidades são", assinalou Ann Cairns, presidente de Mercados Internacionais da Mastercard.

Já o 'ranking' global das cidades com o crescimento mais rápido nos últimos sete anos, dominado pela região do Médio Oriente e da Ásia-Pacífico, é liderado por Osaka (24,15%), seguida por Chengdu (20,14%), Abu Dhabi (19,81%), Colombo (19,57%), Tóquio (18,48%), Riade (16,45%), Xi'an (14,20%), Teerão (12,98%) e Xiamen (12,93%).

O "Global Destination Cities Index" da Mastercard classifica as cidades em termos de números de visitantes internacionais cuja estadia é de, pelo menos, uma noite, e as despesas transfronteiriças efetuadas por esses mesmos visitantes nas cidades de destino, e dá uma estimativa acerca do crescimento de visitantes e passageiros em 2016.

O estudo recorre a dados públicos a partir de uma análise das despesas de visitantes internacionais cuja estadia é de, pelo menos, uma noite em cada uma das 132 cidades de destino, recorrendo a algoritmos criados para o efeito.

O estudo dedica uma atenção particular à eliminação dos efeitos de 'hub' para cidades de destino como Singapura, Dubai, Amsterdão e Frankfurt.

Este estudo e respetivos relatórios não se baseiam nos dados relativos a volume ou transações da Mastercard.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • Fredy Montero é reforço do Sporting

    Desporto

    O colombiano Fredy Montero está de regresso ao Sporting, anunciou o clube. O avançado de 30 anos já tinha vestido a camisola dos leões entre 2013 e 2015, antes de passar pelos chineses do Tianjin Teda e nos canadianos dos Vancouver Whitecaps.

  • Quando o frio até as pestanas congela

    Mundo

    Os termómetros desceram até aos - 67º Celsius em Yakutia, 5.300 quilómetros a Este de Moscovo, na Rússia. Nesta região, os estudantes estão habituados a manter as rotinas, mesmo quando as valores chegam aos - 40º Celsius, mas esta terça-feira as autoridades encerraram escolas e aconselharam a população a ficar em casa, longe do frio que até as pestanas congela.

    SIC

  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.