sicnot

Perfil

País

Cerca de 228 mil eleitores escolhem novo parlamento regional dos Açores

Cerca de 228 mil cidadãos estão inscritos para votar nas eleições regionais dos Açores de 16 de outubro, às quais concorrem 13 forças políticas que vão disputar os 57 lugares da Assembleia Legislativa.

De acordo com os resultados das eleições, o Representante da República nomeia depois o presidente do Governo Regional que, por sua vez, propõe os membros do executivo.

Às eleições regionais, cuja campanha arranca no próximo domingo, dia 02, apresentaram pela primeira vez candidatura o MAS - Movimento Alternativa Socialista, o Partido Democrático Republicano, o PURP - Partido Unido dos Reformados e Pensionistas e o Livre.

Concorrem também todos os partidos com assento no parlamento regional - PS, PSD, CDS-PP, CDU, Bloco de Esquerda e Partido Popular Monárquico -- e, ainda, o PAN -- Pessoas-Animais-Natureza, o Partido da Terra (MPT) e o PCTP-MRPP.

Nos Açores, há dez círculos eleitorais, nove coincidentes com cada uma das ilhas e outro de compensação (que junta os votos que não permitiram eleger deputados nos círculos de ilha).

Cada círculo eleitoral de ilha elege dois deputados e ainda deputados em número proporcional ao dos cidadãos eleitores nele inscritos, prevendo a lei também um círculo regional de compensação, para reforçar a proporcionalidade.

Ninguém pode ser candidato por mais de um círculo eleitoral, excetuando o círculo regional de compensação, ou figurar em mais de uma lista.

PS, PSD, BE, CDU, PDR, MPT e PAN têm candidaturas em todos os círculos eleitorais. O CDS-PP não se apresenta ao Corvo, enquanto o PPM não entregou lista pelo círculo das Flores, onde apoia o cabeça de lista centrista.

O PCTP-MRPP concorre na Terceira, Faial, São Jorge, Santa Maria, Pico, São Miguel e compensação.

Em São Miguel e no círculo de compensação entregaram igualmente listas o PURP e o MAS, duas estreias nas regionais, enquanto o Livre, também uma novidade nestas eleições, soma àqueles dois círculos a candidatura pelo Pico.

O círculo eleitoral que elege mais deputados é o de São Miguel, 20 no total, mais um do que em 2012, seguindo-se a Terceira (10). Pico e Faial elegem, cada um, quatro parlamentares, enquanto Flores, Graciosa, Santa Maria e São Jorge três por cada uma das ilhas.

O círculo mais pequeno é o Corvo que "senta" no parlamento dois deputados, enquanto pela compensação são eleitos cinco.

Desde 1976, ano em que os Açores passaram a ser uma região autónoma com órgãos de governo próprios, realizaram-se dez eleições regionais.

Naquele ano venceu o PSD, liderado por Mota Amaral, que se manteve no poder durante 19 anos, até 1995. Seguiu-se-lhe Madruga da Costa (um ano).

Em 1996, o socialista Carlos César ganhou as eleições, vitória que repetiu em 2000, 2004 e 2008.

Há quatro anos, outro socialista, Vasco Cordeiro, manteve a região sob liderança do PS e igualou os anos no poder do PSD.

Na Assembleia Legislativa Regional, o PS tem 31 dos 57 lugares, enquanto o PSD 20. O CDS-PP conquistou três deputados em 2012, e BE, PCP e PPM têm um mandato cada.

Lusa

  • "Dar força à autonomia é dar força à coesão nacional"
    0:49

    País

    António Costa diz que reforçar a autonomia é uma forma de reforçar a coesão do país. Num discurso feito este sábado num comício na Ilha Terceira, nos Açores, o secretário-geral do PS elogiou a governação do arquipélago e a forma como reagiu aos anos de crise.

  • Jerónimo diz que continuidade do Governo depende da reposição de direitos
    0:41

    País

    Jerónimo de Sousa considera que a continuidade do Governo vai depender da reposição de direitos e salários. Em Ponta Delgada, onde apresentou o programa eleitoral da CDU às eleições legislativas regionais, o secretário-geral comunista garantiu que a responsabilidade de uma eventual crise política será do executivo, não do PCP.

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22