sicnot

Perfil

País

Cerca de 228 mil eleitores escolhem novo parlamento regional dos Açores

Cerca de 228 mil cidadãos estão inscritos para votar nas eleições regionais dos Açores de 16 de outubro, às quais concorrem 13 forças políticas que vão disputar os 57 lugares da Assembleia Legislativa.

De acordo com os resultados das eleições, o Representante da República nomeia depois o presidente do Governo Regional que, por sua vez, propõe os membros do executivo.

Às eleições regionais, cuja campanha arranca no próximo domingo, dia 02, apresentaram pela primeira vez candidatura o MAS - Movimento Alternativa Socialista, o Partido Democrático Republicano, o PURP - Partido Unido dos Reformados e Pensionistas e o Livre.

Concorrem também todos os partidos com assento no parlamento regional - PS, PSD, CDS-PP, CDU, Bloco de Esquerda e Partido Popular Monárquico -- e, ainda, o PAN -- Pessoas-Animais-Natureza, o Partido da Terra (MPT) e o PCTP-MRPP.

Nos Açores, há dez círculos eleitorais, nove coincidentes com cada uma das ilhas e outro de compensação (que junta os votos que não permitiram eleger deputados nos círculos de ilha).

Cada círculo eleitoral de ilha elege dois deputados e ainda deputados em número proporcional ao dos cidadãos eleitores nele inscritos, prevendo a lei também um círculo regional de compensação, para reforçar a proporcionalidade.

Ninguém pode ser candidato por mais de um círculo eleitoral, excetuando o círculo regional de compensação, ou figurar em mais de uma lista.

PS, PSD, BE, CDU, PDR, MPT e PAN têm candidaturas em todos os círculos eleitorais. O CDS-PP não se apresenta ao Corvo, enquanto o PPM não entregou lista pelo círculo das Flores, onde apoia o cabeça de lista centrista.

O PCTP-MRPP concorre na Terceira, Faial, São Jorge, Santa Maria, Pico, São Miguel e compensação.

Em São Miguel e no círculo de compensação entregaram igualmente listas o PURP e o MAS, duas estreias nas regionais, enquanto o Livre, também uma novidade nestas eleições, soma àqueles dois círculos a candidatura pelo Pico.

O círculo eleitoral que elege mais deputados é o de São Miguel, 20 no total, mais um do que em 2012, seguindo-se a Terceira (10). Pico e Faial elegem, cada um, quatro parlamentares, enquanto Flores, Graciosa, Santa Maria e São Jorge três por cada uma das ilhas.

O círculo mais pequeno é o Corvo que "senta" no parlamento dois deputados, enquanto pela compensação são eleitos cinco.

Desde 1976, ano em que os Açores passaram a ser uma região autónoma com órgãos de governo próprios, realizaram-se dez eleições regionais.

Naquele ano venceu o PSD, liderado por Mota Amaral, que se manteve no poder durante 19 anos, até 1995. Seguiu-se-lhe Madruga da Costa (um ano).

Em 1996, o socialista Carlos César ganhou as eleições, vitória que repetiu em 2000, 2004 e 2008.

Há quatro anos, outro socialista, Vasco Cordeiro, manteve a região sob liderança do PS e igualou os anos no poder do PSD.

Na Assembleia Legislativa Regional, o PS tem 31 dos 57 lugares, enquanto o PSD 20. O CDS-PP conquistou três deputados em 2012, e BE, PCP e PPM têm um mandato cada.

Lusa

  • "Dar força à autonomia é dar força à coesão nacional"
    0:49

    País

    António Costa diz que reforçar a autonomia é uma forma de reforçar a coesão do país. Num discurso feito este sábado num comício na Ilha Terceira, nos Açores, o secretário-geral do PS elogiou a governação do arquipélago e a forma como reagiu aos anos de crise.

  • Jerónimo diz que continuidade do Governo depende da reposição de direitos
    0:41

    País

    Jerónimo de Sousa considera que a continuidade do Governo vai depender da reposição de direitos e salários. Em Ponta Delgada, onde apresentou o programa eleitoral da CDU às eleições legislativas regionais, o secretário-geral comunista garantiu que a responsabilidade de uma eventual crise política será do executivo, não do PCP.

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.