sicnot

Perfil

País

Fogo no complexo turístico Zmar em Odemira começou numa camarata

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde no complexo turístico Zmar, em Odemira, distrito de Beja, deve ter começado numa camarata do dormitório dos funcionários, disse à agência Lusa fonte dos bombeiros.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Odemira, Nazário Viana, adiantou que "há suspeitas de que o incêndio tenha iniciado numa camarata", acrescentando que "não começou na cozinha", como chegou a ser indicado.

Em declarações anteriores à Lusa, o comandante operacional distrital de Beja, tenente-coronel Vítor Cabrita, indicou que o incêndio "terá tido início num pavilhão" central do complexo, onde estão situados "o restaurante e o refeitório".

"E o indício que temos é que terá tido início na cozinha", nesse mesmo pavilhão central, acrescentou no sábado à Lusa.

A Polícia Judiciária está a investigar as causas do incêndio, que obrigou à evacuação do espaço, perto de Zambujeira do Mar, segundo fonte da GNR.

No incêndio, segundo fonte dos bombeiros, arderam também três veículos de funcionários do complexo turístico.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou que o incêndio está em fase de rescaldo desde as 04:34 de hoje, tendo o alerta sido dado às 17:39 de sábado.

Tanto o CDOS, como o Comando Territorial de Beja da GNR, não têm registo de quaisquer feridos, devido ao fogo.

O incêndio provocou "danos avultados" e levou à retirada das instalações de cerca de 700 pessoas, entre clientes, funcionários e convidados de um casamento, revelou um responsável do empreendimento.

João Ribeiro Ferreira, administrador-executivo da Multiparques, empresa proprietária do complexo, disse hoje à Lusa que "os prejuízos são muito avultados", acrescentando que "o seu valor só mais tarde pode ser apurado".

Segundo o responsável da empresa, a área de alojamento deve "reabrir dentro de duas semanas", mas o complexo turístico na sua globalidade "só deve estar a funcionar em abril de 2017".

João Ribeiro Ferreira realçou que "não houve qualquer tipo de dano humano" em resultado do fogo, acrescentando que o empreendimento turístico sofreu, contudo, "danos avultados".

O administrador-executivo da Multiparques referiu ainda que "o incêndio começou numa camarata dos funcionários" do complexo turístico.

O combate ao fogo, que foi dominado às 20:03 de sábado, tanto na sua componente urbana, na estrutura do Zmar, como na vertente rural, uma vez que as chamas se propagaram a uma zona de pasto e de povoamento florestal, envolveu 98 operacionais, com 35 veículos, sobretudo de corporações de bombeiros dos distritos de Beja e de Setúbal, e um helicóptero.

O complexo turístico Zmar - Eco Campo Resort, está situado a poucos quilómetros de Zambujeira do Mar, no concelho alentejano de Odemira, no distrito de Beja.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.