sicnot

Perfil

País

Carrilho condenado por ameaça agravada a amiga de Bárbara Guimarães

Manuel Maria Carrilho foi esta manhã condenado por ameaçar uma amiga da sua ex-mulher, Bárbara Guimarães. Terá que pagar 1.800 euros de multa e 2.500 euros de indemnização, pelas ofensas que ocorreram em 2014.

O episódio aconteceu num centro comercial de Lisboa. O tribunal deu como provado que Manuel Maria Carrilho abordou aos gritos uma amiga da ex-mulher. Exaltado e com uma "expressão tresloucada", como contou uma das testemunhas, disse-lhe que era uma mulher morta, que a ia matar e destruir todos os negócios da família.

O juiz da Comarca de Lisboa não deu razão a nenhum dos argumentos da defesa e condenou o ex-ministro ao pagamento de 150 dias de multa, que se traduzem em 1.800 euros. Se não pagar, terá de cumprir 100 dias de prisão. Carrilho terá de pagar ainda uma indemnização à vítima por danos morais, no valor de 2.500 euros, mais juros de mora.

Valores que se somam a uma outra indemnização que o ex-ministro da Cultura aceitou pagar antes mesmo do início do julgamento, num acordo que levou à desistência das queixas por agressão a injúrias à mesma amiga de Bárbara Guimarães na mesma situação.

Manuel Maria Carrilho assumiu então a culpa, pediu desculpa por escrito e pagou a indemnização. O caso seguiu assim só com o crime de ameaça agravada, que não permite desistência, terminado agora em condenação. A defesa não quis dizer se vai recorrer.

O ex-ministro é arguido noutros dois processos que correm em Lisboa por crimes de difamação, ameaça, agressão, injúrias e violência doméstica contra Bárbara Guimarães.

Última atualização às 11:49

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.