sicnot

Perfil

País

"Não podemos deixar morrer a utopia"

O Presidente da República disse esta quarta-feira querer que os portugueses não deixem de perseguir a utopia na sociedade, na economia e na política, mas de forma plural, porque só assim se foge ao populismo antissistema.

"Não podemos deixar morrer a utopia, porque a utopia não é de esquerda nem de direita", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, reforçando que, como Presidente da República, a única coisa que quer é que "os países não deixem de perseguir a utopia, de formas diferentes, porque é um país plural".

Falando em Óbidos no Festival Literário Internacional (FOLIO), que hoje visita, o chefe de Estado disse que "a direita não tem que ficar complexada pelo facto de a esquerda se querer utópica. Nem a esquerda tem que ficar complexada se a direita quiser ser utópica".

Para o Presidente da República, é preciso "que a esquerda continue utópica", que a direita " seja mais utópica" e, de preferência, cada uma "à sua maneira".

Tanto mais que: "se não conseguirmos encontrar caminhos de utopia no funcionamento da economia, da sociedade, da política estamos condenados aos populismos, antissistema", acrescentou, considerando que a ausência de pluralidade de ideias "não serve democracia, não serve o Estado de direito, não serve a Constituição e, sobretudo, não serve os portugueses".

A pluralidade de ideias e políticas foi defendida pelo Presidente no Folio, no qual assistiu ao debate "Jornalismo, Utopia e Economia", numa mesa com os jornalistas Nicolau Santos (Expresso) e André Macedo (RTP).

À margem do debate, Marcelo defendeu que, no capítulo da economia, "é bom para o país que haja dois caminhos diferentes", aludindo à política do anterior Governo PSD/CDS-PP, "que entendia que era perigoso devolver tantos rendimentos e pôr o pé no acelerador em termos de correção de desigualdades sociais", de forma tão rápida. E, por outro lado, à do atual executivo socialista para quem "isso faz sentido" para "compensar [os portugueses] pelos anos vividos" sob resgate.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, o que importa é "ter de um lado e do outro da alternativa soluções fortes" mas, que, ressalvou, "respeitem aquilo que é assumido".

Na sua visita surpresa ao festival a que, como "cidadão e Presidente" quis "manifestar reconhecimento e apoio" Marcelo Rebelo de Sousa assistiu ao final de uma aula de Vera San Payo de Lemos, sobre Brecth, e ouviu 'segredos' soprados através de um tubo por alunos de uma turma de Vila Franca de Xira que hoje participavam na oficina "Oceanutópicos", antes de visitar a tenda dos editores e as várias livrarias da vila.

A cumprir a segunda edição o festival celebra, até domingo, os 500 anos da 'Utopia' de Thomas More, o Ano Internacional do Entendimento Global, o centenário do nascimento de Vergílio Ferreira, os 500 anos da morte do pintor Hieronymus Bosch e os 400 anos da morte de William Shakespeare e Miguel de Cervantes.

Lusa

  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • #SICnaCampanha

    Autárquicas 2017

    As caravanas estão na estrada e os repórteres da SIC também. Acompanhe aqui os bastidores das autárquicas.

    Live blog

  • PSD não está a lutar "pela sobrevivência" em Lisboa
    3:29

    Autárquicas 2017

    Mais uma volta de norte a sul do país com a campanha dos líderes políticos para as próximas autárquicas. Ainda não acabou a guerra Bloco de Esquerda-CDU. A secretária-geral adjunta do PS bem se esforça, mas não consegue apoio nas ruas como António Costa. Pedro Passos Coelho voltou a aparecer ao lado de Teresa Leal Coelho, mas não quis comentar prováveis resultados na capital.

  • PCP e PS desvalorizam estudo de economistas com alternativa à do Governo
    1:09

    Orçamento do Estado 2018

    Um grupo de economistas, incluindo o deputado independente eleito pelo PS Paulo Trigo Pereira, publicou um estudo em que defende uma proposta alternativa à apresentada pelo Governo. O PCP e o PS desvalorizaram a opinião dos economistas e o Bloco de Esquerda disse que a consolidação orçamental poderia ser mais lenta. Já o PSD e o CDS aplaudem a proposta e defendem que o estudo apresentado é um aviso ao desnorte do Governo. 

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Jato privado incendeia-se no aeroporto de Istambul

    Mundo

    Um jato privado com quatro pessoas a bordo despistou-se e, por consequência, incendiou-se esta quinta-feira no Aeroporto de Istambul. De acordo com os media locais, todos os ocupantes sobreviveram, saindo do avião por si mesmos, apenas com ferimentos ligeiros.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Deputado do Canadá pede desculpa por chamar "Barbie do Clima" a ministra

    Mundo

    O deputado da província de Saskatchewan, no Canadá, chamou na terça-feira a ministra do Ambiente de "Barbie do Clima". Catherine McKenna não gostou de ser apelidada desta forma e acusou Gerry Ritz de ter um comportamento sexista. Após a crítica, foram precisos apenas 20 minutos para o deputado fazer um pedido de desculpas à ministra.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC