sicnot

Perfil

País

Papa confirma visita a Fátima em 2017

Visita de MArcelo Rebelo de Sousa ao Vaticano em março de 2016

© Alessandro Bianchi / Reuters

O bispo auxiliar de Lisboa, Nuno Brás, disse hoje que o Papa Francisco lhe confirmou que se deslocará a Portugal em maio do próximo ano, "mas a Fátima", a propósito do Centenário das Aparições.

Em declarações à agência Ecclesia, Nuno Brás contou que a confirmação foi dada no último domingo, quando cumprimentou o Papa no final da Eucaristia que encerrou o Jubileu dos Catequistas, no Vaticano.

"Eu irei, mas a Fátima" foi a afirmação que, segundo o bispo auxiliar de Lisboa, o Papa Francisco fez após lhe ter dito que os portugueses "estavam à espera dele".

"Ele respondeu-me que viria, mas a Fátima", sublinhou.

Assim sendo, Nuno Brás considera que a visita a Fátima pode ser dada como certa, "a não ser que aconteça um imprevisto de agenda ou pessoal".

Segundo a agência Ecclesia, "para além da indicação de visitar Fátima, o programa da visita do Papa, o local de chegada a Portugal, o percurso até à Cova da Iria e os dias em que o pontífice argentino vai estar em território português permanecem em aberto".

Nuno Brás contou que "o Papa disse com muita alegria" que se deslocaria a Portugal, reforçando o que "tinha dito aos bispos portugueses durante a visita ad Limina".

A agência Ecclesia recorda que a 07 de setembro do ano passado, no encontro dos bispos de Portugal com o Papa durante a visita ad Limina, o Papa demonstrou o "desejo profundo" de visitar Fátima, ao afirmar: "tengo ganas de ir a Fátima (quero ir a Fátima)".

A 17 de março, durante a primeira visita oficial como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa convidou formalmente o Papa Francisco para uma visita a Portugal.

Caso esta se venha a confirmar, Francisco será o quarto Papa a visitar Portugal, depois de Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991 e 2000) e Bento XVI (2010).

Com Lusa

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20