sicnot

Perfil

País

Turismo Centro pede "bom senso" a operadores turísticos na visita do papa a Fátima

© Reuters

O valor das reservas hoteleiras para maio de 2017, em Fátima, é superior a todas as reservas somadas de 2015, revelou esta sexta-feira o presidente da Turismo Centro, que pede "moderação e bom senso" aos operadores turísticos.

"Graças à visita do papa e às celebrações do Centenário das Aparições, todos os quartos em Fátima e localidades limítrofes estão vendidos com mais de um ano de antecedência, uma situação extraordinária que nos alegra a todos, mas que traz consigo grandes responsabilidades", disse à agência Lusa Pedro Machado.

O presidente da Entidade Regional Turismo Centro pede aos operadores turísticos que ajam com "moderação e bom senso" e "não comprometam a experiência" de forma a deixar nos visitantes a vontade de voltar.

"Temos que evitar abusos especulativos e pensar não só em 2017, mas também em 2018, 2019 e anos seguintes. A grande afluência de visitantes não pode servir de desculpa para uma queda na qualidade de serviços, antes pelo contrário", argumenta Pedro Machado.

O responsável pela Turismo Centro, entidade que agrupa cem municípios, acredita que os operadores turísticos, sobretudo os hoteleiros, serão capazes de dar uma "resposta à altura", dizendo que toda a região vai beneficiar da peregrinação a Fátima de 2017.

"Os hotéis das principais cidades estão praticamente com reservas esgotadas para a altura da visita do papa, e há poucos dias recebemos a notícia de que o operador turístico brasileiro Schultz reservou 300 quartos em Lisboa para as datas que coincidem com a esperada visita", diz Pedro Machado, que integra a Comissão Organizadora do Centenário das Aparições.

A habitual peregrinação a Fátima de turistas brasileiros deverá em 2017 ser ainda maior uma vez que deverão decorrer no Santuário as celebrações dos 300 anos da Senhora da Aparecida, padroeira do Brasil.

Pedro Machado acredita que em 2017 o número de visitantes a Fátima "ultrapassará facilmente os sete milhões", tendo em conta a visita do papa Francisco em ano de Centenário das Aparições.

Segundo dados oficiais da Reitoria do Santuário, Fátima foi visitada em 2015 por 6,7 milhões de pessoas, número que deverá ser ultrapassado no final do ano corrente.

Para o otimismo destas estimativas contribui a confirmação pelo bispo auxiliar de Lisboa, Nuno Brás, de que o papa Francisco se deslocará a Portugal em maio do próximo ano, para visitar Fátima, a propósito do Centenário das Aparições.

Em declarações à agência Ecclesia, Nuno Brás contou que a confirmação foi dada no domingo, quando cumprimentou o papa no final da Eucaristia que encerrou o Jubileu dos Catequistas, no Vaticano.

Lusa

  • "Tengo ganas de ir a Fátima"
    1:18

    País

    O Papa confirmou que vai visitar Fátima, em maio do próximo ano. Francisco vai presidir ao centenário das aparições. "Tengo ganas de ir a Fátima", foram as palavras exatas do Sumo Pontífice, quando foi questionado pelo bispo auxiliar de Lisboa.

  • Papa confirma visita a Fátima em 2017

    País

    O bispo auxiliar de Lisboa, Nuno Brás, disse hoje que o Papa Francisco lhe confirmou que se deslocará a Portugal em maio do próximo ano, "mas a Fátima", a propósito do Centenário das Aparições.

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas.

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Oposição alarga protesto e anuncia "tomada da Venezuela"

    Mundo

    A oposição venezuelana recusou esta quinta-feira a proibição de manifestações decretada pelo Governo e avisou que, em resposta, ampliará o protesto previsto para sexta-feira, passando de uma "tomada de Caracas" para uma "tomada da Venezuela".

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC