sicnot

Perfil

País

TAAG vai investigar caso de funcionário da Portway fechado no porão de avião

O presidente do Conselho de Administração da transportadora angolana TAAG garantiu hoje que vai ser aberto um inquérito ao incidente com o avião da companhia que aterrou de emergência em Lisboa com um funcionário da Portway no porão.

Peter Hill falava à margem da cerimónia de receção em Luanda, do novo Boeing 777-300 ER da companhia, que aterrou na capital angolana cerca das 13:30, vindo dos Estados Unidos, e no qual viajava.

"Não sabia disso. Não é preciso dizer, mas vai ser aberto um inquérito", afirmou, questionado sobre o incidente.

Um avião da TAAG aterrou hoje de emergência em Lisboa após ter sido comunicado que um funcionário da Portway tinha ficado encerrado no porão da aeronave quando esta descolou no Porto, disse à agência Lusa fonte da ANA - Aeroportos de Portugal.

"Temos de saber porquê, com certeza vão ter respostas muito em breve", afirmou.

Segundo a mesma fonte da ANA - Aeroportos de Portugal, o avião da TAAG aterrou de emergência no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, às 10:58, depois de ter descolado às 10:14 do aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, local onde foi detetada a falta do funcionário da Portway Handling de Portugal, após a aeronave ter levantado voo com destino a Luanda.

Informado o comandante do avião da TAAG de que o funcionário estaria fechado no porão, este aterrou a aeronave em Lisboa, tendo o trabalhador da Portway sido retirado, assistido na placa do aeroporto Humberto Delgado e transportado para o Hospital de Santa Maria para observação.

O avião da TAAG prosseguiu a sua viagem para Luanda.

A fonte adiantou que foi aberto um inquérito para averiguar a ocorrência.

Por acordo com o Governo angolano, a TAAG é gerida desde 2015 pela Emirates.

Lusa

  • Avião aterra de emergência em Lisboa com funcionário esquecido no porão

    País

    Um avião da TAAG, a companhia aérea de Angola, aterrou esta manhã de emergência em Lisboa devido à presença de um trabalhador da Portway no porão. O aparelho, um Boeing 777, seguia do Porto para Luanda quando foi desviado para a Portela. A aterragem de emergência, apurou a SIC, foi decidida depois da Portway ter comunicado a falta do trabalhador, já com o avião no ar.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.