sicnot

Perfil

País

Acidentes nas estradas aumentam 5,6%, mas mortes diminuem 9,4%

Os acidentes nas estradas portuguesas aumentaram este ano 5,6 %, num total de 94.441 sinistros, em relação a 2015, enquanto o número de mortos diminuiu 9,4%, indicou esta quarta-feira a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviário (ASNR).

A ANSR, que reúne dados da PSP e GNR, registou 94.441 desastres rodoviários, entre 1 de janeiro e 30 de setembro, mais 4.555 do que em igual período de 2015, quando ocorreram 89.886.

Segundo a ANSR, os acidentes provocaram 324 mortos, entre janeiro e setembro, menos 34 em relação a período idêntico de 2015, altura em que se registaram 358 vítimas mortais.

Os distritos com maior número de mortos este ano foram Lisboa (46), Aveiro (29), Porto e Setúbal (26).

Nos distritos da Guarda (4) e Viana do Castelo os acidentes provocaram menos mortos, adianta a Segurança Rodoviária.

Os feridos graves também diminuíram este ano, registando-se este ano menos 167 ao ficarem gravemente feridos 1.543 pessoas até 30 de setembro.

Os acidentes provocaram ainda este ano 28.379 feridos ligeiros, menos 171 do que em igual período de 2015.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas mortais cujo óbito foi declarado no local do acidente ou a caminho do hospital.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.