sicnot

Perfil

País

A entrevista a Catarina Martins

Entrevista completa

A entrevista a Catarina Martins

Catarina Martins garante que o Bloco de Esquerda não apoia perdões fiscais e exige que Portugal tenha um posicionamento diferente em relação à Europa. A coordenadora do BE diz que o partido está a trabalhar de forma sólida e gradual com o Governo mas admite que gostaria de fossem dados passos muito maiores. Depois de Pedro Passos Coelho, esta foi a segunda entrevista a líderes partidários no Jornal da Noite. A próxima entrevistada é a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, na próxima quarta-feira.

O que disse Catarina Martins:

Novo perdão fiscal

"O BE nunca foi favorável a estes perdões fiscais e não mudou de ideias."

"Uma coisa diferente é que com a crise, famílias e empresas ficaram em situações muito complicadas."

"É diferente fazer um perdão cego que vai beneficiar todos, quem precisa e quem não precisa"

1 ano de Governo de Esquerda

"Quando sabemos que é possível estar a aumentar o salário mínimo, sabemos porque fizemos o acordo"

"Quem votou no BE sabia o que é que o BE estava disposto a fazer"

"As pessoas compreendem, as divergências do Bloco são claras"

"Exigimos um outro posicionamento em relação à Europa"

"O BE faz um compromisso e sabemos sempre em nome do quê o fazemos"

"Estamos a trabalhar, é um trabalho complicado, ninguém estava à espera que fosse simples"


Aumento das pensões

"A ideia de que há posições muito diferentes entre o BE e o PCP talvez não seja bem assim"

"É óbvio que não temos exatamente a mesma posição que o PS"

"Quem trabalhou tem de ser respeitado, independentemente dos seus filhos"

"No acordo que fizemos dizíamos que as pensões não podem ficar congeladas"

"A fórmula de atualização das pensões é muito diminuta em relação à perda de poder de compra"


BE vai aprovar o Orçamento do Estado?

"Este esforço não deve ser um emblema do Bloco mas uma necessidade em toda a AR"

"Estamos a trabalhar em soluções e ver possibilidades, é preciso que o OE contenha o acordo que fizemos"

"O problema não está na devolução de rendimentos, o problema está na dívida"

"Estamos a discutir 200 milhões de euros que são uma gota de água no oceano que são os juros da dívida"

"Não somos Governo, o Governo é do Partido Socialista"

"Desde a entrada no euro que o país cresce 0,2% ao ano"

"Não é a devolução de rendimentos que é culpada pelos problemas na economia"

"O Bloco tem sempre dito que a procura interna não chega e que é preciso o investimento público"

"Nos anos do PSD/CDS, ao mesmo tempo que se empobrecia, cresceu cada vez mais o número de milionários"


Queda do fim do sigilo bancário

"BE e PCP têm tido posições convergentes no que é essencial"


Imposto sobre o Património

"O que está em causa é pedir a uma pequena minoria com grandes fortunas que pague uma pequena percentagem"

"A medida não é do BE, houve um grupo de trabalho entre o Governo, o PS e o BE"

"Não é uma opinião do BE, é o resultado de um estudo que foi feito"

"Eu sei que à elite incomoda muito quando se quer alguma Justiça Fiscal"


Autárquicas 2017

"Temos um problema que já vem de gerações em Portugal, que tem a ver com falta de transparência nas autarquias"

"É saudável que se apresentem propostas diferentes às eleições"


Há linhas vermelhas no acordo com o PS?

"Não andamos para trás, este acordo foi feito para recuperar rendimentos"

"Estamos a dar pequeninos passos, o Bloco gostaria que fossem muito maiores"

  • Entrevista de Catarina Martins em análise
    10:04

    Opinião

    Bernardo Ferrão e Pedro Marques Lopes estiveram na Edição da Noite para analisar a entrevista de Catarina Martins à SIC marcada pelo perdão fiscal, o aumento de pensões, o sigilo bancário e imposto sobre o património.

  • A entrevista a Pedro Passos Coelho
    2:08

    País

    Passos Coelho diz que vêm aí aumentos nos impostos porque o Governo não tem outra alternativa para o país. O líder do PSD criticou a falta de soluções dos socialistas. Foi no Jornal da Noite da SIC, na primeira entrevista aos cinco líderes partidários.

  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Costa alerta para "condições particularmente adversas"
    1:47

    País

    O primeiro-ministro alertou para a possibilidade de novos incêndios de grandes dimensões, muito por causa da situação de seca que grande parte do território atravessa. António Costa pediu aos portugueses um "particular cuidado com todos os comportamentos de risco".

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Temperaturas vão baixar nos próximos dias
    1:05
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35