sicnot

Perfil

País

Conselho Superior de Defesa aprova participação em missão da ONU na Colômbia

O Conselho Superior de Defesa Nacional aprovou esta quinta-feira a participação portuguesa na missão das Nações Unidas (ONU) na Colômbia e a diminuição da presença na força liderada pela NATO no Kosovo (KFOR) até meio do próximo ano.

Estas decisões, tomadas após a apreciação de propostas apresentadas pelo Governo, constam de um comunicado distribuído aos jornalistas no final da reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional, que decorreu a bordo do navio-escola "Sagres", na Base Naval de Lisboa, no Alfeite.

O comunicado refere que foi decidido "dar parecer favorável à participação nacional na missão das Nações Unidas na Colômbia naturalmente atendendo à situação envolvente" - em que o acordo de paz entre o Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) foi rejeitado em referendo.

Quanto à missão de paz liderada pela NATO no Kosovo, segundo o comunicado, foi dado "parecer favorável à retração da força nacional na KFOR até ao fim do primeiro semestre de 2017, no quadro da continuação de idêntico empenhamento português na Aliança Atlântica".

"Por fim, o Conselho concluiu com uma primeira análise e debate sobre a possível participação das Forças Armadas em operações e/ou missões no exterior do território nacional, durante o ano de 2017", lê-se no documento.

A nota distribuída aos jornalistas refere ainda que o Presidente da República "abriu a sessão com uma palavra de apreço pelo apoio da Marinha à concretização desta reunião no navio-escola "Sagres", 'bandeira' de Portugal e do seu espírito empreendedor no mundo".

Desde que Marcelo Rebelo de Sousa assumiu a chefia do Estado, a 9 de março, o Conselho Superior de Defesa Nacional tem-se reunido aproximadamente de três em três meses. As anteriores reuniões realizaram-se a 24 de março e a 12 de julho.

Na terça-feira, o ministro da Defesa Nacional reiterou que Portugal disponibilizou oito militares e outros tantos polícias para a missão de monotorização das Nações Unidas na Colômbia, apesar do resultado do referendo de domingo.

"Há um pequeno percalço, que espero seja pequeno, com a circunstância de no referendo ter havido uma maioria de votos contrários que, no fundo, não consolidam com carater definitivo o acordo de paz em todas as suas dimensões", disse Azeredo Lopes à agência Lusa.

Segundo Azeredo Lopes, cabe agora às Nações Unidas decidir, embora os principais intervenientes já tenham vindo a público dizer que o cessar-fogo se mantinha.

"Esta é uma missão diferente. Embora participem militares, do que se trata é uma missão de monotorização do cessar-fogo definitivo estabelecido entre o governo da Colômbia e as FARC", salientou o ministro.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.