sicnot

Perfil

País

Telefonar, comer e excesso de velocidade são comuns nos condutores

© Chris Roussakis / Reuters

A utilização do telemóvel sem sistema de mãos livres, ler e enviar mensagens, comer, excesso de velocidade e passar um sinal que acabou de ficar vermelho são alguns dos comportamentos de risco dos condutores portugueses identificados num estudo.

Realizado por uma empresa do ramo automóvel, com apoio da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e Prevenção Rodoviária Portuguesa, o estudo sobre o "comportamento dos condutores portugueses" traça também o perfil do automobilista português, concluindo que mais de metade já teve um acidente rodoviário.

O estudo, que teve por base um inquérito efetuado junto de 1.285 condutores, mostra igualmente o perfil 'multitasking' (o carro é uma extensão do escritório) dos condutores, destacando que os jovens enquanto conduzem cantam e ouvem música, fumam, usam o telemóvel, maquilham-se e tomam o pequeno-almoço.

Já as famílias com filhos aproveitam a viagem para ler e responder a emails, para contactos telefónicos e enviar mensagens, ler relatórios e tratar da agenda, lanchar, almoçar, maquilharem-se e gerir as crianças no banco traseiro.

O inquérito indica também que 28 e 26 por cento dos 1.285 inquiridos nunca conduziu em excesso de velocidade nas autoestradas e nas zonas residenciais, respetivamente, um quarto nunca bebeu ou comeu enquanto conduzia e 25% nunca fez nem recebeu chamadas em sistemas mãos livres.

O inquérito, da responsabilidade da Continental Pneus Portugal, concluiu também que os portugueses têm consciência dos riscos da adoção de determinados comportamentos durante a condução, sendo que associam níveis mais elevados de risco ao envio de emails, fazer relatórios, ler e utilizar as redes sociais.

Do outro lado da escala, os comportamentos mais frequentes a que os condutores associam menor risco são a utilização telemóvel em sistema mãos livres, conduzir em excesso velocidade na autoestrada e o comer e beber.

Os dados analisados mostram igualmente que os condutores mais jovens, entre os 18 e os 25 anos, são os que mais reportam uma performance deficitária em situações de stress ao volante.

Os automobilistas que percecionam ter mais stress na sua atividade profissional são os que revelam mais comportamentos agressivos ao volante, enquanto os que se preocupam em manter um estilo de vida saudável são os que revelam menos tendência para a agressividade ao volante.

De entre as atitudes adotados por quem revela um comportamento mais agressivo, 35% grita com os outros condutores, um terço diz palavrões e 29% Buzina com os outros.

Quase a totalidade dos inquiridos mostra preocupação ao volante quando as condições meteorológicas são adversas, quando transportam crianças no carro e em situações de cansaço.

De acordo com estudo, os condutores que mais têm comportamentos de risco ao volante são os que dormem menos.

As questões disponibilizadas no inquérito, coordenado pelo IPAM (escola de marketing) tinham como objetivo analisar e caracterizar o comportamento de condução, a atividade profissional exercida, caracterização dos tempos livres, estilo de vida saudável, bem como uma caracterização sociodemográfica.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59