sicnot

Perfil

País

PSP regista mais de 40 queixas de agressões a motoristas da Uber desde 2015

Pelo menos 43 queixas de agressões a condutores que trabalham na plataforma eletrónica de transporte de passageiros Uber foram registadas pela PSP desde 2015, segundo dados desta força de segurança enviados à agência Lusa.

Em 2015, a Polícia de Segurança Pública - que não especifica contra quem foram apresentadas as queixas - contabilizou, em Lisboa, 22 casos de agressões ou ameaças a motoristas da Uber e no primeiro trimestre deste ano registou nove denúncias.

No Porto, a PSP contabilizou 12 queixas no primeiro trimestre deste ano.

Não foram disponibilizado mais dados sobre as queixas.

A Uber foi a primeira plataforma 'online' a instalar-se em Portugal para permitir pedir carros descaracterizados de transporte de passageiros, com uma aplicação para 'smartphones' que liga quem se quer deslocar a operadores de transporte.

Mais recentemente, a Cabify começou também a operar no país.

A atividade destas plataformas tem sido polémica, com o setor do táxi a contestar o facto de não terem de cumprir as mesmas obrigações que os taxistas - a nível, por exemplo, de formação e de segurança.

Para regular a atividade, o Governo anunciou em setembro uma proposta de diploma que passa a exigir aos motoristas destas plataformas formação inicial no mínimo de 30 horas (os taxistas têm hoje 150 horas de formação) e um título de condução específico.

Os carros não podem ter mais de sete anos, passam a ter de estar identificados com um dístico, terão de ter um seguro semelhante ao dos táxis e serão obrigados a emitir uma fatura eletrónica.

Além disso, não podem circular na faixa bus, não podem estacionar nas praças de táxi e só podem apanhar clientes que os tenham chamado através da aplicação.

Os taxistas desvalorizaram o anúncio do decreto-lei, sublinhando que as propostas já constam das recomendações de um grupo de trabalho e referindo que está a ser feito "um fato à medida" das plataformas.

Lusa

  • "Claramente que há mandantes e que foi uma operação organizada"
    4:14

    Crise no Sporting

    Os 23 detidos por suspeitas de terem participado no ataque à Academia de Alcochete ficaram em prisão preventiva. Miguel Sousa Tavares considera que a decisão "é mais para ser exemplar". O comentador da SIC acredita que há mandantes e que esta foi uma "operação organizada". Sousa Tavares diz ainda que os "políticos não têm coragem para impor as leis" e que em Portugal "brinca-se com a lei".

    Miguel Sousa Tavares

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.

  • Jovem britânico em fuga é detido depois de responder à polícia no Facebook

    Mundo

    Através do Facebook, a polícia de West Yorkshire mostrou-se preocupada perante o desaparecimento de um jovem de 21 anos e pediu por informações que pudessem leva-los a descobrir Leon Smith. Contudo, o que não deveriam estar à espera, era que o próprio desaparecido respondesse na rede social e que desafiasse a polícia a "fazer o seu trabalho". As autoridades acabaram por localizar o jovem no mesmo dia.

    SIC