sicnot

Perfil

País

Verão de 2016 foi o mais poluído dos últimos seis anos em Portugal

O verão deste ano foi o mais poluído em Portugal dos últimos seis anos, segundo uma análise aos níveis de poluição do ar que envolveu dois poluentes relacionados com os incêndios florestais.

A associação ambientalista ZERO analisou dados da qualidade do ar de 2011 a 2016, entre 1 de agosto e 15 de setembro, tendo constatado que "2016 foi o ano em que os níveis de poluição do ar foram, de longe, os mais elevados em Portugal".

A análise da ZERO, com base em dados disponibilizados pela Agência Portuguesa do Ambiente, envolveu dois poluentes relacionados com os incêndios florestais: partículas inaláveis e ozono.

No caso do ozono, as elevadas temperaturas do verão deste ano também constituem um fator relevante para se atingirem níveis com impacto na saúde pública.

Já no caso das partículas, além dos incêndios, contribui também o transporte de massas de ar vindas do norte de África, que influenciaram as concentrações poluentes em muitos locais.

O pior local do país no que respeita às elevadas concentrações de ozono foi a estação de monitorização em Vouzela, com os piores dias a registarem-se a 8 e 9 de agosto.

A associação ZERO sublinha, em comunicado, que as ultrapassagens dos valores limite de concentrações de ozono este ano foram muito superiores às verificadas em anos anteriores.

Na situação das partículas inaláveis, os valores mais elevados registaram-se em Estarreja, Vouzela, Funchal, Ílhavo e Montemor-o-Velho.

Ao longo deste último verão, os ambientalistas da ZERO dizem ter constatado que a informação sobre concentrações de poluentes esteve indisponível durante muitos dias, o que impossibilita a consulta pelo público e pela imprensa dos valores medidos.

Lusa

  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.