sicnot

Perfil

País

Confrontos entre a polícia e taxistas

Confrontos entre a polícia e taxistas

Um grupo de taxistas que participa na manifestação de hoje do setor saiu dos carros e bloqueou o acesso ao Aeroporto de Lisboa, registando-se confrontos com a polícia, que tentou impedir o bloqueio.

Perto das 11:00, junto à Rotunda do Relógio (por baixo do viaduto da Segunda Circular), os ânimos exaltaram-se e os taxistas acabaram por atirar à polícia garrafas de água e sumos. Os agentes responderam disparando para o ar e afastando os manifestantes.

A presença do Corpo de Intervenção foi reforçada no local, onde estão oito carrinhas da polícia.

No confronto, a polícia formou uma barreira para acalmar os manifestantes.

Depois, em tom de ironia, os taxistas bateram palmas à intervenção da polícia e gritaram "isto é uma vergonha", prometendo permanecer no local.

Os taxistas portugueses agendaram para hoje uma marcha lenta em Lisboa, quase seis meses depois de terem feito um protesto idêntico que juntou centenas de carros na capital.

Com Lusa

  • "Nós não vamos sair daqui"

    País

    Centenas de taxistas mantêm-se concentrados, bloqueando o acesso ao Aeroporto de Lisboa desde o final da manhã. Terminou sem acordo a reunião entre representantes do setor do táxi e o ministro do Ambiente. Acompanhe em direto a emissão da SIC Notícias.

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Novo campo de refugiados construído em Mossul

    Mundo

    Um novo campo de refugiados foi construído em Mossul, no Iraque. Com cerca de 4 mil tendas, foi construído durante 45 dias para albergar os deslocados que se prevê que aumentem com a atual ofensiva militar na zona ocidental da cidade.