sicnot

Perfil

País

Metro de Lisboa reforçou serviço face à maior afluência de passageiros

© Rafael Marchante / Reuters

O Metro de Lisboa registou na manhã de hoje "um aumento da procura", devido à manifestação dos taxistas, disse à agência Lusa fonte da empresa, acrescentando que houve um reforço do serviço prestado aos utentes.

Já o serviço de autocarros da Carris verificou perturbações "nos troços e carreiras que passam pela zona em que a manifestação se encontra parada", junto ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

De acordo com fonte da Carris, o transporte em autocarros está a ser "efetuado com normalidade" nas restantes zonas da cidade de Lisboa.

Em relação ao Metro, fonte desta empresa, "conforme se esperava, tem existido um aumento da procura".

Neste sentido, o Metro foi reforçado ao nível de serviço e de apoio nas estações, o que "tem permitido fazer face a este aumento de procura".

Segundo a empresa, o serviço do Metro está a funcionar "fluidamente e com regularidade".

Os taxistas portugueses agendaram para hoje uma marcha lenta em Lisboa, quase seis meses depois de terem feito um protesto idêntico contra a plataforma Uber que juntou centenas de carros na capital.

A manifestação de hoje decorre contra a regulação, proposta pelo Governo, da atividade das plataformas de transportes de passageiros como a Uber ou a Cabify.

As plataformas Uber e Cabify permitem pedir carros descaracterizados de transporte de passageiros através de uma aplicação para 'smartphones', mas estes operadores não têm de cumprir os mesmos requisitos -- financeiros, de formação e de segurança -- do que os táxis.

A marcha saiu do Parque das Nações e tem como destino a Assembleia da República.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.