sicnot

Perfil

País

Passos defende regulação dos novos serviços de transporte de passageiros

O presidente do PSD defendeu esta segunda-feira a regulação dos novos serviços de transporte de passageiros que surgiram, como a Uber e a Cabify, sublinhando que talvez o Estado esteja a exigir demasiado a uns e menos a outros.

"Neste momento há uma divisão entre aquilo que é imposto ao serviço de táxi, por um lado, e aquilo que é imposto a outros serviços, que são serviços inovadores, que apareceram há menos tempo e para os quais não havia regulação", admitiu o líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas no final da cerimónia de inauguração da nova sede da UGT, em Lisboa.

Por isso, defendeu, o Estado tem de regular esta matéria e "tem de o fazer sabendo que se calhar está a exigir demasiado a uns - a quem impõe um custo e um ónus demasiado elevado - e menos a outros".

Fazendo votos para que possa existir um entendimento "porque as pessoas precisam de aceder a melhores transportes", Passos Coelho não fez nenhuma referência direta à manifestação que os taxistas estão a fazer desde o início da manhã junto ao aeroporto de Lisboa, mas insistiu na necessidade de "regras transparentes" e adequadas ao que são as exigências que o próprio Estado deve colocar a todos os operadores.

"Hoje talvez seja dia de dizer que, apesar de termos muito poucas greves, para não dizer quase nenhumas nos transportes públicos, eles nunca tiveram tão mau serviço e as pessoas nunca tiveram razão para ter tantas queixas", acrescentou.

Centenas de taxistas estão desde a manhã de hoje em protesto junto ao aeroporto de Lisboa, bloqueando o trânsito até à rotunda do Relógio, quase seis meses depois de terem feito um protesto idêntico contra a plataforma Uber.

Os profissionais estão em luta contra a regulação, proposta pelo Governo, da atividade das plataformas de transportes de passageiros como a Uber ou a Cabify e tinham inicialmente como destino a Assembleia da República.

As plataformas Uber e Cabify permitem pedir carros descaracterizados de transporte de passageiros através de uma aplicação para 'smartphones', mas estes operadores não têm de cumprir os mesmos requisitos - financeiros, de formação e de segurança - do que os táxis.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.