sicnot

Perfil

País

Mais de um terço dos portugueses sem rendimentos para cobrir necessidades

Mais de um terço dos portugueses não tem rendimento suficiente para satisfazer as necessidades e 16% recorre ao crédito para as cobrir, segundo um inquérito da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) divulgado esta terça-feira.

No inquérito da OCDE sobre literacia financeira divulgado hoje, 35% dos portugueses responderam que nem sempre têm dinheiro para cobrir as suas necessidades e 16% admitiram que já recorreram ao crédito para as satisfazer.

Assim, Portugal fica acima da média dos países da OCDE, em que 27% dos inquiridos admitem não ter rendimentos suficientes para satisfazer as necessidades básicas e 14% recorreram ao crédito para as cobrir.

Portugal fica também acima da média, mas apenas ligeiramente, do conjunto dos 30 países que responderam ao inquérito, em que 34% dos inquiridos responderam não ter rendimento para cobrir as suas necessidades e 20% admitiram recorrer ao crédito.

Este é um dos pontos onde Portugal se destaca pela negativa, mas na avaliação geral de literacia financeira o país fica ligeiramente acima da média geral e da OCDE, embora os níveis gerais sejam "bastante baixos", considera a instituição.

Num total de 21 pontos, em áreas que combinam conhecimento, atitudes e comportamentos, a média do conjunto dos 30 países que responderam ao inquérito é de 13,2 pontos, enquanto a dos países da OCDE é de 13,7 pontos.

Portugal fica acima da média, com 14 pontos, mas, ainda assim, a OCDE considera que "há uma margem significativa para melhoria" em todos os países.

Para a OCDE, os níveis de literacia financeira "são mais baixos do que o esperado por um conjunto variado de razões - nuns casos [a falta de] conhecimento é um problema, noutros os comportamentos são particularmente problemáticos".

Além disso, "há grandes variações nos níveis de conhecimento financeiro entre os países". Cerca de 60% dos inquiridos portugueses tiveram uma pontuação mínima de cinco (em sete) em questões sobre conhecimento financeiro, uma classificação que está acima da média dos 30 países inquiridos (56%) e abaixo da média dos países da OCDE (62%).

A OCDE também concluiu que o conhecimento financeiro varia por género: em 18 das 30 economias que participaram no inquérito, os homens têm pontuações mais elevadas do que as mulheres.

Em Portugal, 67% dos homens inquiridos e 54% das mulheres têm uma pontuação de pelo menos cinco (em sete) nas questões sobre conhecimento financeiro.

Em 15 países e economias, menos do que metade dos adultos definem objetivos financeiros de longo prazo e tentam alcançá-los, um "comportamento que é essencial para a segurança e bem-estar financeiros de longo prazo", defende a OCDE. Pelo contrário, em Portugal, por exemplo, mais de seis em 10 inquiridos tem tendência em favorecer o longo prazo.

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.