sicnot

Perfil

País

Tiroteio em Aguiar da Beira fez dois mortos e dois feridos

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Há outra vítima mortal além de um militar da GNR, em Aguiar da Beira. As autoridades acreditam que os casos estão relacionados. Um dos suspeitos já foi identificado.

Última atualização às 12:48

Foi identificado um dos suspeitos envolvidos no tiroteio esta manhã em Aguiar da Beira, Guarda, em que um militar da GNR morreu e outro ficou ferido em estado grave. Estará em fuga numa carrinha Mitsubishi Strakar, que terá sido avistada em São Pedro do Sul, no distrito de Viseu.

Um militar de 29 anos morreu e um outro, de 41, ficou ferido em estado grave, alvejados no decorrer de uma ação de patrulhamento que estavam a realizar, na zona industrial de Aguiar da Beira, próximo da localidade de Vila Chã. Os suspeitos, que serão dois, fugiram no carro patrulha, que abandonaram a cerca de cinco quilómetros.

No decorrer da investigação, as autoridades encontraram entretanto um casal com ferimentos de bala - um homem, que morreu, e uma mulher, gravemente ferida.

A GNR acredita que o caso poderá estar ligado com o tiroteio que envolveu os militares, uma vez que as duas vítimas foram encontradas numa zona próxima onde estava o carro patrulha entretanto abandonado pelos assaltantes. Chegou a avançar-se que estes dois civis poderiam ser os próprios suspeitos.

Ao meio-dia, o major Pedro Gonçalves falou à imprensa e fez um ponto de situação:

A GNR confirmou a morte de um dos militares, atingido na cabeça. Em declarações à SIC Notícias durante a manhã, o major Pedro Gonçalves chegou a desmentir a morte, indicando que o homem estava a ser assistido no local. No entanto, o militar não terá sobrevivido.

O caso aconteceu por volta das 7:30. Os suspeitos terão fugido no carro patrulha. A viatura foi depois abandonada, com uma das vítimas no interior - o militar que entretanto morreu.

O militar da GNR ferido, baleado nas costas, foi deixado no local. Encontra-se atualmente estabilizado, mas inspira cuidados e vigilância, no Centro Hospitalar Tondela-Viseu.

As autoridades têm montada uma operação para deter os suspeitos, que envolve cerca de 100 militares da Guarda e de Viseu e também elementos da Polícia Judiciária.

  • O que se passou em Aguiar da Beira, segundo a GNR
    3:39

    País

    O major Pedro Gonçalves fez um ponto de situação da investigação ao tiroteio em que um militar da GNR morreu e outro ficou ferido, em Aguiar da Beira. Foram entretanto encontrados um homem morto e uma mulher ferida, numa zona próxima.

  • 100 militares envolvidos na caça ao homem na Guarda
    1:19

    País

    As autoridades têm montada uma operação para deter os suspeitos que balearam fois militares da GNR em Aguiar da Beira. Ao telefone, o major Pedro Gonçalves, confirmou que a operação envolve 100 militares, decorre no distrito da Guarda e estende-se a todo o território nacional.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59