sicnot

Perfil

País

Lince ibérico libertado em Mértola após recuperação de quatro meses em Espanha

Um lince ibérico libertado em 2015, em Mértola, no Alentejo, e capturado "gravemente doente" em maio passado em Doñana, em Espanha, foi reintroduzido na terça-feira na Herdade das Romeiras, em Mértola, anunciou esta quarta-feira o Instituto de Conservação da Natureza.

De acordo com o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o lince ibérico Lítio "foi novamente solto na área de reintrodução em Mértola, depois de quatro meses em recuperação num centro de fauna em Huelva", na Andaluzia espanhola.

O Lítio, originário do centro de reprodução da espécie de El Acebuche, no Parque Nacional de Doñana, em Espanha, foi capturado em maio passado nos arredores do parque espanhol, um ano após ter sido libertado em Portugal.

De acordo com o ICNF, o animal "encontrava-se em deficiente condição física, com apenas nove quilos de peso e gravemente doente, tendo sido transferido para um centro de recuperação de fauna em Huelva, onde recuperou das infeções e aumentou mais cinco quilos ao seu peso".

O lince ibérico foi libertado a 15 de maio de 2015, no interior da Herdade das Romeiras, em Mértola, e fixou o seu território a cerca de sete quilómetros do local onde foi solto, após ter explorado a área circundante durante cerca de 70 dias.

O animal foi novamente solto na terça-feira, na área de reintrodução em Mértola, "num território vazio, encaixado entre os territórios de dois machos e três fêmeas".

Os técnicos do ICNF pretendem que a presença de outros animais, "faça com que Lítio fixe território e não volte a dispersar, podendo atuar como reprodutor durante a próxima época de cria que brevemente se iniciará".

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.