sicnot

Perfil

País

Mulher que tentou matar marido com machado diz que não teve noção do que fez

A mulher que tentou matar o marido com um machado, deferindo-lhe vários golpes na cabeça, braços e mãos, em setembro de 2015, em Valongo, no Porto, disse esta quinta-feira em tribunal não ter noção do que fez.

"Eu amo-o. Choro todos os dias por ele. Estou muito arrependida das coisas que fiz", afirmou ao coletivo de juízes do Tribunal São João Novo, no Porto.

Na madrugada de 08 de setembro de 2015, a arguida pegou num machado e atacou o companheiro em casa, enquanto este dormia, desferindo-lhe vários golpes na cabeça, braços e mãos e cortando-lhe três dedos, referiu a acusação do Ministério Público (MP).

Depois, a suspeita deixou o homem a esvair-se em sangue e saiu de casa, trancando a porta.

Fechada em casa, a vítima arrastou-se pela casa e pegou num telemóvel para pedir ajuda, tendo os Bombeiros de Valongo entrado pela janela para o socorrer, transportando-o para o Hospital São João onde os médicos ainda lhe conseguiram recuperar dois dos três dedos cortados.

Acusada de homicídio qualificado na forma tentada e sequestro, a arguida, de 50 anos, contou que se davam "muito mal" e que o marido a "maltratava", obrigando-a a prostituir-se, atividade que ela assumiu que exercia.

"Tentou matar-me três ou quatro vezes nos últimos anos", relatou.

Por esse motivo, a alegada homicida adiantou que apenas o queria assustar para ele não lhe voltar a fazer mal.

"Tínhamos estado a ver televisão e beber duas garrafas de vinho e uma de espumante, por isso, estava muito tonta, não me apercebi do que fiz, além disso não tinha luz em casa", avançou.

A mulher adiantou que depois de lhe dar com o machado saiu de casa "sem rumo", tendo-o deixado sozinho porque não tinha consciência da gravidade do seu estado.

E acrescentou: "sempre o tratei bem. Era eu que trabalhava e o sustentava, ele não fazia nada".

Também ouvido pelo coletivo de juízes, o homem garantiu que "nunca" lhe bateu.

"Quando fui atacado pus as mãos à frente da cara, mas não vi se era ela porque não havia luz", salientou.

Lusa

  • Encontrado corpo da criança que desapareceu na praia de São Torpes
    0:55

    País

    O corpo da criança que tinha desaparecido na praia São Torpes, concelho de Sines, foi encontrado esta manhã fora de água, nas rochas, a 1,5 quilómetros do sítio onde tinha desaparecido, no passado dia 21. O alerta foi dado por um popular à Polícia Marítima, cerca das 8h00.

  • Não há aumentos salariais no Estado para o ano
    1:18

    Economia

    O ministro das Finanças confirma a alteração dos escalões de IRS em 2018. É uma das medidas prioritárias para o próximo ano, a par do descongelamento das carreiras na função pública. Numa entrevista à Antena 1, Mário Centeno admite que não vai haver aumentos salariais no Estado no próximo ano

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.

  • Bombeiro alvejado durante assalto em Buenos Aires
    1:07

    Mundo

    A polícia argentina está a investigar o assalto e a agressão a tiro a um bombeiro em Buenos Aires. O homem de 30 anos foi atacado por três jovens, o momento foi captado pelas câmaras de videovigilância. As imagens mostram o exato momento em que o bombeiro foi atacado pelo grupo, perto de um quiosque de alimentação automático. De acordo com as informações disponíveis, a vítima terá sido alvejada seis vezes.