sicnot

Perfil

País

Trabalhadores não policiais do SEF iniciam hoje greve de dois dias

Os trabalhadores não policiais do SEF iniciam hoje uma greve de dois dias para exigiram um estatuto de carreira, paralisação que vai afetar sobretudo os serviços de documentação, processual e de atendimento ao público.

A greve é convocada pelo Sindicato dos Funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SINSEF), que admite o possível encerramento dos postos de atendimento ao público e o atraso na emissão de autorizações de residência e de outros documentos de entrada e permanência de estrangeiros em Portugal.

A presidente do sindicato, Manuela Niza Ribeiro, disse à agência Lusa que os trabalhadores não policiais do SEF reivindicam uma carreira específica, exigindo um estatuto de carreira especial.

A sindicalista realçou que atualmente não está em causa aumentos salariais, sendo uma questão que adiada para o orçamento de 2018, mas sim "o reconhecimento da especificidade da carreira", através da criação de um estatuto próprio, como aconteceu com os inspetores do SEF.

Manuela Niza Ribeiro adiantou que atualmente os trabalhadores não policiais estão integrados na carreira geral da função pública, mas, realçou, que "fazem muito mais do que trabalho administrativo".

Segundo o sindicato, os funcionários não policiais do SEF constituem quase metade dos trabalhadores daquele organismo e são responsáveis pela logística, tratamento de informação, análise de dados e pesquisa de segurança que sustentam as decisões de concessão de vistos, nomeadamente dos 'vistos gold'.

A presidente do sindicato afirmou que "o SEF não pode ser confundido e tratado como uma mera polícia de fronteira, mas sim como um serviço multifacetado".

Lusa

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.