sicnot

Perfil

País

Marcelo diz-se muito preocupado com o panorama da leitura em Portugal

© Rafael Marchante / Reuters

O Presidente da República manifestou-se esta sexta-feira "muito preocupado" com o atual panorama da leitura em Portugal, referindo que a comunicação social de massas dá menos atenção ao tema e que se vendem menos livros.

No seu entender, "o digital tem permitido experiências notáveis, mas há que convir que o reajustamento de políticas definidas para outro tempo e para outras circunstâncias é hoje uma realidade que é imperativa".

Marcelo Rebelo de Sousa falava durante um fórum sobre os 20 anos da Rede de Bibliotecas Escolares, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Apesar de "muito preocupado", o chefe de Estado voltou a definir-se como "um otimista" e afirmou que "aposta também na renovação constante do Plano Nacional de Leitura" e "apoia tudo o que o Governo for fazendo" nesta matéria, que classificou de "imperativo nacional".

"Eu não vos vou dizer que tenho a paixão da educação. Já outros o disseram, e bem", declarou, numa alusão ao antigo primeiro-ministro António Guterres, que na quinta-feira foi eleito secretário-geral das Nações Unidas.

Perante alguns risos na assistência, Marcelo Rebelo de Sousa prosseguiu: "E bem, porque de facto tinham a paixão da educação".

"E é bom, aliás, que quem o disse hoje possa colocar a sua paixão da educação ao serviço do mundo, porque é de facto o melhor da minha geração. Enche-nos de orgulho e é uma oportunidade para o mundo, assim o mundo e as Nações Unidas aproveitem", acrescentou, provocando uma salva de palmas para Guterres.

O Presidente da República retomou então o tema da sua intervenção, defendendo que "é de facto uma prioridade nacional, a educação, e dentro da educação a literacia é uma prioridade".

Marcelo Rebelo de Sousa começou por considerar que a Rede de Bibliotecas Escolares, assim como o Plano Nacional de Leitura, "foi essencial" para aumentar a literacia.

"Simplesmente, passaram 20 anos sobre a Rede de Bibliotecas Escolares, passaram dez anos sobre o Plano Nacional de Leitura, eu não vos escondo que estou preocupado com o panorama da leitura em Portugal hoje. Estou muito preocupado", acrescentou.

Segundo o chefe de Estado, "há obviamente uma crise editorial" em Portugal: "O que se produz hoje, edita hoje e, sobretudo, aquilo que se vende hoje de livros fica muito aquém do que acontecia ainda não há muitos anos. E a tendência tem sido genericamente preocupante".

Em segundo lugar, o Presidente da República referiu que "a comunicação social de massas, a começar na audiovisual, tem dado menor atenção nos últimos tempos quer ao Plano Nacional de Leitura quer à problemática da leitura em geral, quer ao acompanhamento da política do livro".

Marcelo Rebelo de Sousa ressalvou que "há exceções", mas considerou que "o panorama global também é preocupante nesse particular, e não é compensado pelo digital".

Lusa

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Governo promete melhorar condições de 26 mil famílias
    1:23

    País

    O ministro do Ambiente explicou esta terça-feira, no Parlamento, as novas medidas para a habitação: reduzir os impostos para arrendamentos longos, melhorar as condições de 26 mil famílias e introduzir o arrendamento vitalício para maiores de 65 anos. Este é um investimento que vai chegar aos 1700 milhões de euros.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31
  • Peixe-galo e batatas rosti, qual o cardápio do encontro entre os líderes das Coreias?

    Mundo

    O menu do encontro entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, já foi dado a conhecer esta terça-feira. Através do site oficial do Governo, Seul anunciou um cardápio com vários pratos típicos da Península da Coreia, como dumplings ao vapor, arroz cultivado na Coreia, carne grelhada, salada fria com polvo, peixe-galo, batatas rosti e sopa fria.

    SIC

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17