sicnot

Perfil

País

Portugal quer resposta do Iraque sobre levantamento de imunidade na próxima semana

NUNO VEIGA

O Governo português defendeu esta sexta-feira que as autoridades iraquianas devem enviar, até ao final da próxima semana, uma resposta formal ao pedido de levantamento da imunidade diplomática dos filhos do embaixador do Iraque.

A posição do executivo foi transmitida em reuniões ocorridas no Ministério dos Negócios Estrangeiros com uma delegação iraquiana, nas passadas segunda e terça-feira, lê-se num comunicado hoje divulgado pelo Palácio das Necessidades.

"Na sequência do pedido de levantamento da imunidade diplomática resultante do inquérito aos incidentes ocorridos em Ponte de Sor no passado mês de agosto e da reunião havida em Nova Iorque entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, foi igualmente tratada esta questão", adianta a nota do Ministério.

Durante os encontros, as autoridades iraquianas "receberam toda a informação solicitada sobre o quadro jurídico aplicável e comprometeram-se a responder formalmente" ao pedido de Portugal "nos próximos dias", refere a mesma nota.

"A parte portuguesa entende que a resposta formal terá de ser enviada até final da próxima semana", defende o Governo.

Segundo o comunicado do Ministério liderado por Augusto Santos Silva, a agenda da reunião foi "abrangente", tendo sido abordadas "as várias facetas das relações bilaterais, as relações União Europeia-Iraque e ainda outros temas da agenda regional e internacional".

Portugal pediu, a 25 de agosto, o levantamento da imunidade diplomática dos filhos do embaixador do Iraque em Portugal, na sequência das agressões a um jovem de Ponte de Sor, e solicitou, no início de setembro, urgência na resposta das autoridades iraquianas, que responderam que o farão "no tempo adequado".

Num encontro realizado à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, no dia 23 de setembro, o chefe da diplomacia iraquiana garantiu a Santos Silva que o seu país não se oporá a "qualquer exigência da lei para que a investigação possa ser concluída".

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.