sicnot

Perfil

País

Portugueses têm mais cuidado com a alimentação do que há cinco anos

A maioria dos cerca de 800 portugueses inquiridos num estudo refere ter hoje mais cuidado com a alimentação do que há cinco anos e mais de metade considera ter peso normal.

Segundo o estudo da Marktest sobre hábitos alimentares, a que a agência Lusa teve acesso, 65% dos portugueses refere ter atualmente mais cuidado com a alimentação: 67,5% das mulheres diz optar regularmente por refeições saudáveis, percentagem que desce para os 50% no caso dos homens.

Os dados revelam ainda que a faixa etária dos 25 aos 34 anos foi a que maior evolução registou na adoção de um regime alimentar mais saudável.

Do total dos 802 inquiridos, 40% dizem ter "muitas vezes" o cuidado de fazer uma alimentação saudável, quase 20% fazem-no "sempre" e 33% dizem que o fazem "algumas vezes". Apenas sete por cento dizem que "nunca" ou "poucas vezes" têm cuidado com o regime alimentar.

Quanto à prática desportiva, o estudo conclui que são os homens a apostar mais na atividade física: 52,4% dos homens dizem praticar habitualmente exercício físico, enquanto no sexo feminino a percentagem ronda os 46%.

O estudo da Marktest, baseado em entrevistas, tentou ainda perceber a ideia que os portugueses têm individualmente do seu peso. Conclui que mais de metade dos inquiridos (54,9%) considera ter peso normal. São 37% os que assumem ter peso a mais e há sete por cento de pessoas que julgam ter peso a menos.

A faixa etária entre os 55 e os 64 anos é a que tem mais percentagem de inquiridos que assume peso em excesso.

O estudo da Marktest, divulgado dois dias antes do Dia Mundial da Alimentação, que se assinala domingo, foi baseado em 802 entrevistas a adultos residentes em Portugal Continental com casas com telefone fixo.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.