sicnot

Perfil

País

Complexo do Cachão abandonado

Complexo do Cachão abandonado

Os dois incêndios que destruíram vários pavilhões do Cachão puseram a nu a realidade que se vive atualmente no antigo Complexo Agroindustrial. No espaço moribundo e exposto à poluição restam pouco mais de meia dúzia de pequenas empresas com cerca de 100 trabalhadores. Mas nos anos 60 e 70, o Complexo do Cachão foi o maior polo de desenvolvimento do nordeste Transmontano. Na altura, empregava mais de 3 mil pessoas.

  • Seis meses após o incêndio, fumo continua a sair do Complexo do Cachão
    3:51

    País

    Seis meses depois do incêndio, o Complexo Industrial do Cachão em Bragança continua transformado num depósito de lixo. A empresa proprietária dos armazéns ainda não retirou os detritos que continuam em combustão. Os habitantes da aldeia queixam-se da poluição a que estão expostos e receiam um novo incêndio.

  • Fumo continua a sair dos escombro do incêndio no Cachão
    3:55

    País

    Depois de três semanas do incêndio que destruiu dois armazéns com resíduos plásticos no Cachão, em Mirandela, ainda há fumo a sair dos escombros. Os habitantes da aldeia queixam-se da poluição a que estão expostos. Exigem a remoção imediata de todos os resíduos existentes nas instalações. A empresa Mirapapel, responsável por armazenar o material no local, ignorou várias ordens para o retirar e já foi alvo de processos de contra-ordenação pelo exercício não licenciado de gestão de resíduos.

  • População do Cachão receia que complexo industrial esteja a ser usado como lixeira
    3:34

    País

    Os habitantes do Cachão, em Mirandela, receiam que o antigo complexo agro-industrial, onde no domingo um incêndio destruiu dois armazéns de resíduos plásticos, esteja a ser transformado numa espécie de cemitério de detritos. Há vários anos que a população se queixa, primeiro da poluição gerada por uma fábrica de transformação de bagaço de azeitona, depois da acumulação de resíduos.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.