sicnot

Perfil

País

Marcelo recebido em ambiente de euforia na Suíça

Marcelo recebido em ambiente de euforia na Suíça

O Presidente da República foi recebido em ambiente de euforia em Genebra, na Suíça. Veja aqui os momentos de Marcelo com a comunidade portuguesa no país.

Marcelo Rebelo de Sousa encontrou-se com a comunidade portuguesa num pavilhão de hóquei no gelo, o que acabou por tornar-se num verdadeiro pesadelo para as autoridades suíças que por entre centenas de emigrantes tentavam formar um corredor de segurança para fazer a saída de Marcelo Rebelo de Sousa.

Indiferente aos esforços da segurança, o chefe de Estado português conversou com quem o abordava e como já é hábito pousou para as selfies. Este é o primeiro de três dias de visita do Presidente da República à Suíça, com paragens em Genebra e em Berna.

Neste encontro com a comunidade portuguesa, Marcelo ouviu tunas e um rancho folclórico e discursou no meio de uma pista de gelo com muitos elogios aos portugueses radicados na Suíça. Nas palavras do Presidente, esta foi a segunda maior comunidade do mundo a apoiar a economia nacional.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18